Cinema Críticas

Crítica: End of Sentence (2019)

End of Sentence Crítica de Cinema

PODE CONTER SPOILERS DE END OF SENTENCE!!!

Filmes inseridos no género de road trips não são tão raros quanto se possa pensar. O mesmo se aplica quando vemos dramas fortes em volta de laços familiares danificados em busca de resolução. Juntam-se os dois e temos o caso deste End of Sentence.

Frank Fogle ficou recentemente enviuvado, e um dos últimos desejos da sua falecida mulher é espalhar as suas cinzas num lago na Irlanda. O senão: Frank tem de trazer consigo Sean, o seu filho problemático que prefere recomeçar a sua vida depois de sair da prisão em vez de estar com o seu pai.

End of Sentence não é um filme assim tão difícil de acompanhar. Embora tenha uma relação complicada entre pai e filho no centro das atenções, a maior parte dos eventos que vemos a acontecerem inserem-se precisamente no que esperaríamos de um filme road trip. Um destino, várias paragens, vários problemas. Este tipo de fórmula pode ser encontrada no seu pleno e o filme não se preocupa em introduzir algo diferente.

Apesar dessa mesma previsibilidade, End of Sentence encontra a sua maior força nas performances de John Hawkes e Logan Lerman. Ao contrário do que se possa pensar, o filme opta por momentos mais quietos e subtis do que em explosões verbais e físicas. E consegue-se notar essa opção neste duo protagonista, que por momentos reservam os seus sentimentos à flor da pele para depois aparecerem em momentos-chave do filme. Lerman mostra um Sean constantemente zangado e com comportamentos irracionais durante a maior parte do filme, mas depois vai-se abrindo e mostrar um pouco da garra artística que o jovem ator é capaz de mostrar. Em contraste, Hawkes não se abre por completo, mas são vários os eventos que ocorrem durante o filme que permitem-no mostrar alguns sentimentos de forma mais subtil, especialmente nas suas expressões faciais.

Existem alguns atores que ainda vão aparecendo para dar vida ao filme – um claro destaque para Sarah Bolger que, apesar de nos oferecer uma performance já familiar em si, concede um número musical mágico -, mas são Hawkes e Lerman que carregam o filme nos ombros, com uma relação difícil e que ilustra algumas disfuncionalidades que podemos encontrar nas famílias modernos, inclusive um histórico de violência doméstica que justifica a aparente apatia inicial das suas performances.

Deixamos ainda o destaque para o espaço cénico do filme, uma vez que consegue aproveitar a beleza e o caos que os seus locais de filmagem – nomeadamente os Estados Unidos, a Irlanda e a Islândia – conseguem oferecer.

End of Sentence é um drama forte que, apesar da sua fórmula familiar, ganha bastantes pontos a seu favor graças ao trabalho dos seus dois protagonistas.

Podem ler outras Críticas aqui.

Título: End of Sentence
Realização: Elfar Adalsteins
Elenco: John Hawkes, Logan Lerman, Sarah Bolger, Andrea Irvine, Ólafur Darri Ólafsson
Duração: 96 minutos

Trailer | End of Sentence

Comments