Mini-Reviews TV TV

Legends of Tomorrow – Season Finale – 5ª Temporada

Legends of Tomorrow season finale

PODE CONTER SPOILERS DE LEGENDS OF TOMORROW!!!

A pandemia que continua a persistir em todo o mundo obrigou algumas séries a terem de encerrar os seus ciclos de forma prematura. E as séries que compõem a Arrowverse da The CW não foram exceção, com The Flash, Supergirl e Batwoman a conseguirem terminar as suas temporadas de forma adequada. No entanto, isto não se aplica a outras séries; Arrow e Black Lightning conseguiram terminar as suas jornadas (a primeira de vez). E agora, Legends of Tomorrow também se junta a este segundo grupo.

Após os eventos da temporada anterior – e também dos eventos em redor de Crisis on Infinite Earths – as Lendas passaram a gozar de um novo estatuto que as tornou em verdadeiras celebridades na comunidade heróica. No entanto, esta nova paz é perturbada quando Astra Logue (Olivia Swann) começa a fazer das suas e espalha Encores – almas de algumas das figuras mais sangrentas da História da Humanidade que estiveram presas no Inferno – nos vários cantos do espaço-tempo.

O MELHOR:

Esta temporada de Legends of Tomorrow pode ser vista como uma espécie de regresso back-to-basics.

Depois de uma temporada em que os nossos heróis tiveram de enfrentar ameaças mais sobrenaturais do que o costume, vermos a tripulação a lidar com algumas figuras da História pode ser visto como um regresso às suas origens. É claro que existem algumas diferenças, nomeadamente no sentido de estas figuras originarem no Inferno e, portanto, serem “imortais”, o que apresenta um desafio diferente para as Lendas, mas não deixa de ser um regresso às origens da série.

Mas Legends of Tomorrow sempre foi uma série que preferiu dar uma maior preferência às suas personagens do que propriamente ao conflito geral das suas temporadas. E esta quinta aventura não é exceção, com cada um dos membros do elenco a terem arcos concretos nas suas jornadas pessoais. Temos o exemplo da nova complicação da vida de Mick (Dominic Purcell) como um exemplo concreto dessas mudanças. E acreditem, existem várias para fazerem o deleite dos fãs.

Com uma nova temporada, também chegam caras novas e novas visões de personagens que já tínhamos visto no passado. Neste último caso, temos Astra, que podia ser vista como uma espécie de antagonista para as Lendas, mas a sua evolução ao longo da temporada conseguiu pintá-la numa nova luz. Já no que refere a caras novas, há que destacar a chegada de Behrad (Shayan Sobhian) que, graças aos eventos da quarta temporada, tomou o lugar de Zari (Tala Ashe) não só como o dono do Totem do Ar, mas também do seu lugar dentro da tripulação da Waverider. Torna-se ainda mais impressionante como, num espaço de uma temporada, este conseguiu integrar-se como se estivesse lá há bastante tempo. E dá para ver o quão bem este lida com o resto do grupo, especificamente no seu bromance com Nate (Nick Zano)

Quanto a Zari, Tala Ashe parece ter tomado inspiração na transição de Maisie Richardson-Sellers quando esta passou de Amaya (durante a segunda e terceira temporadas) para Charlie (a partir da quarta). No entanto, em vez de interpretar uma personagem inédita, Ashe deu-nos uma nova versão de Zari, desta feita como uma media influencer. Embora inicialmente esta interpretação estava mais ligada a uma espécie de paródia, esta versão depressa mereceu o seu lugar na tripulação, trazendo consigo um novo conjunto não-convencional de capacidades e humor.

No entanto, esta temporada de Legends of Tomorrow também marcou o fim da jornada de Ray Palmer e Nora Darhk. Apesar da péssima jogada sobre a sua saída (há relatos que dizem que os dois atores foram “obrigados” a sair), Brandon Routh e Courtney Ford tiveram direito a uma despedida emocional dentro da série. A ausência daquele otimismo contagiante de Ray Palmer e o romance adorável entre este e Nora (cortesia de os dois atores serem um casal na vida real) tornou-se ainda mais palpável durante a segunda parte da temporada.

No que toca aos episódios em si, Legends of Tomorrow continuou a ser aquela série estranha que oferece episódios tão bizarros que não seriam possíveis de ver em nenhuma outra série que compõe a Arrowverse. Episódios como uma paródia aos filmes sobre as irmandades universitárias americanas, paródias de filmes de zombies, homenagens aos vários géneros televisivos ou mesmo um pseudo-crossover com Supernatural, tem havido de tudo um pouco nesta temporada.

O PIOR:

A segunda parte da quinta temporada de Legends of Tomorrow não foi tão boa quanto o desejado.

Por seu mérito, a segunda parte inclui alguns momentos marcantes por seu mérito (inclusive um retcon às origens de Charlie). No entanto, considerando que a primeira parte viu as Lendas lidarem com figuras históricas, torna-se um bocado estranho quando a série volta ao lado mais sobrenatural, desta feita com as Sister of Fate.

Isto permitiu a evolução de Charlie dentro da série, mas fica a ideia de que, além de ser uma segunda parte mais negra, não só ignora a veia back-to-basics que marcou a primeira parte, mas também serviu como uma espécie de rehash do que se passou na segunda temporada com o Doomworld. Mesmo as suas vilãs, Lachesis (Sarah Strange) e Atropos (Joanna Vanderham) não foram tão impressionantes quanto isso.

Apesar de tudo, Legends of Tomorrow continua com a sua tradição de ser a série mais leve da Arrowverse. E considerando a era mais negra que se passam nesse universo televisivo (e também na vida real), se calhar um pouco de televisão aparvalhada é o que precisamos para esboçar sorrisos rasgados.

Legends of Tomorrow regressará em 2021 com uma sexta temporada que promete ser “do outro mundo”. Até lá, podem reler a nossa crítica à temporada anterior aqui.

Estado da série: RENOVADA

0 73 100 1

73%
Average Rating

Apesar de uma segunda parte que deixou um bocado a desejar, Legends of Tomorrow continua a proporcionar momentos estranhos e que fazem o deleite dos fãs.

  • 73%

Comments