Cinema Críticas

Crítica: Scoob! (2020)

Scoob! Crítica de Cinema

PODE CONTER SPOILERS DE SCOOB!!!!

Os desenhos animados da Hanna-Barbera podem não ser necessariamente da nossa geração – especialmente para quem nasceu durante a década de 90 – mas os constantes re-runs nas televisões e a venda de cassetes de vídeo permitiram-nos entrar em contacto com estas personagens. Tom & Jerry, The Flintstones, Yogi Bear… A lista continua, mas Scooby-Doo é, com certeza, uma das mais populares da marca, tendo já sido alvo de imensas versões, no grande ou pequeno ecrãs, com sucesso relativo. Pois bem, este grupo, composto por dois homens, duas mulheres e um cão falante teve direito a um regresso em formato de CGI para as novas gerações.

Desta feita, a Mystery Inc. alia-se, surpreendentemente, ao Blue Falcon e ao seu fiel companheiro, Dynomutt, para salvar o mundo de um plano maléfico de Dick Dastardly.

Uma pessoa podia pensar que Scoob! seria uma aventura a que já nos habituámos com o Scooby Gang (afinal, tantos outros filmes assim o fizeram), mas não podia estar mais enganado! Fica mais do que claro que este filme promete ser uma espécie de vanguarda para o que pode vir a ser considerado um universo cinematográfico populado por personagens que fazem parte do legado da Hanna-Barbera, pelo menos julgando pela presença de personagens de outras propriedades em papéis de grande relevo e ainda um ou outro cameo espalhado por aí.

O estilo gráfico em CGI pode não ser exatamente o que se estava à espera, mas pelo menos faz justiça ao legado da Hanna-Barbera. E isso torna-se ainda mais notável quando o filme emprega algumas táticas já familiares para induzir sequências de comédia para os mais novos, ainda que o humor presente tenha algumas arestas por limar no que toca à sua eficácia. Há momentos de comédia física que os mais novos irão apreciar, e alguns momentos que os adultos poderão captar, mas no geral, a vertente do humor é, na sua génese, cringe-worthy.

No que refere ao elenco escolhido, é surpreendente que Scoob! tenha amealhado alguns nomes bem sonantes, com apenas Frank Welker a voltar a emprestar a sua voz ao Scooby-Doo. E no geral, o novo elenco até consegue ser competente o suficiente para conseguir ancorar o filme, com Mark Wahlberg e Jason Isaacs a serem os claros destaques do filme. Se bem que deve-se mencionar o estranho caso de Will Forte, que enfrentou um enorme backlash por substituir Matthew Lillard, que interpretou Shaggy desde o primeiro live-action de 2002, e ainda sair por cima.

No entanto, e considerando o teor mais orientado para as crianças, não esperem encontrar um produto profundo em Scoob!. Tem uma mensagem clara sobre a amizade, mas francamente, não é necessariamente uma mensagem inédita, já que tantos outros filmes exploraram esta temática até às exaustão, e muitos outros também conseguiram expandir nessa ideia da amizade como uma “fonte de poder”. Existe também a questão da narrativa geral, que não podia ser mais genérica, dando uma maior ênfase nas personagens que habitam este mundo da Hanna-Barbera acima de tudo.

Mas no fim e ao cabo, Scoob! consegue servir como um serão bem passado em família, especialmente se dita família inclui crianças. Sim, algumas ideias podem já estar esgotadas, mas não deixa de ser um guilty pleasure para muita gente em casa.

Podem ler outras Críticas aqui.

Título: SCOOBY!
Título Original: Scoob!
Realização: Tony Cervone
Elenco: Will Forte, Mark Wahlberg, Jason Isaacs, Gina Rodriguez, Zac Efron, Amanda Seyfried, Kiersey Clemons, Ken Jeong, Tracy Morgan, Frank Welker
Duração: 94 minutos

Trailer | Scoob!

Comments