Cinema Críticas

Crítica: Honeyland (2019)

Honeyland Critica de Cinema

CONTÉM SPOILERS DE HONEYLAND!

Há certas tradições que é uma pena ficarem perdidas. Enquanto outras não se justificam (sim, pisquei aqui o olho às touradas), outras são bonitas e doces… literalmente, neste caso. Honeyland conta a história de Hatidze, uma apicultora que colhe mel de uma maneira muito própria. No entanto, assim que uma família de apicultores nómadas chega à sua vila, o seu estilo de vida barulhento, e o gado que trazem consigo, ameaçam a tradição de Hatidze.

Honeyland Critica de Cinema

Hatidze vive com a sua mãe de 85 anos, já cega e quase sem ouvir, e doente. Tal como as abelhas cuidam da sua rainha, também Hatidze dedica o seu dia-a-dia a cuidar da sua mãe. É uma analogia bastante bonita e atenciosa. Mas Honeyland é um documentário duro em muitos aspetos. A sua história tem muitos altos e baixos, especialmente quando o retrato dos novos vizinhos de Hatidze não é propriamente muito prazeroso. Há toda uma componente de vida que choca com alguns valores e com algumas ambições que interferem diretamente com a vida da protagonista.

Mas tudo isto culmina num registo documental extremamente diferente do que é habitual. Aqui não interpelação de entrevistas, ou uma fórmula tradicional a seguir dentro do estilo. É uma narração acompanhada pela câmara e pela atividade diária dos intervenientes da ação. Tudo está a acontecer no momento, que isso de bom ou mau transmita para o público. Esta despreocupação em seguir a fórmula cliché do documentário, que Honeyland brilha. E o foco da sua mensagem é uma bonita ode a um tradicionalismo que irá desaparecer em breve.

Mas o mais surpreendente, é que Honeyland é emocional em muitos aspetos sem darmos conta. E talvez este seja o seu maior trunfo. Porque não basta apenas uma história bonita sem a emoção que ela transmite. Mas nada é planeado para chegar a este ponto, tudo flui de forma muito natural, como a vida. A realizadora Tamara Kotevska e o seu colega Ljubomir Stefanov fazem um trabalho extraordinário em captar todos os momentos deste capítulo agridoce da vida de uma sobrevivente da industrialização.

Honeyland Critica de Cinema

Mesmo que não chegue a ser perfeito, Honeyland é um produto magnífico, capaz de nos absorver durante a sua ligeira duração e que quebra com os típicos parâmetros cliché do cinema documental, e talvez a sua mensagem de conservação seja vista com olhos de quem quer realmente ver. Fica aqui este breve comentário, e uma dedicatória a Hatidze por expor a sua vida de forma bela e significativa.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Honeyland

Título Original: Honeyland

Realização: Tamara Kotevska & Ljubomir Stefanov

Duração: 86 min.

Trailer | Honeyland

Comments