Mini-Reviews TV TV

Trial by Media – Series Finale – 1ª Temporada

Trial By Media Series Finale

CONTÉM SPOILERS DE TRIAL BY MEDIA!

Produzida por George Clooney e o seu colaborador habitual Grant Heslov, Trial by Media é, tal como o nome indica, uma mini-série documental que se foca na forma como a imprensa pode ser responsável positiva ou negativamente (maioritariamente negativa) no desenlace de alguns dos mais mediáticos julgamentos norte-americanos.

Trial By Media Series Finale

O MELHOR:

Não se deixem enganar pelo nome e, apesar de nem todos os episódios surtirem o efeito desejado, Trial by Media é um exercício documental extremamente competente, que traz à tona da superfície algumas atrocidades e alguns aspetos reflexivos importantes. Terei de separar os episódios à medida que vou escrevendo, para dar uma sensação maior de proximidade. Tenham em mente que, a questão principal incide sobre a cobertura da imprensa desmesurada e no consumismo televisivo que, de alguma forma, torna a vida privada dos réus ou vítimas, exposta ao mundo, com tudo o que isso, de bom ou mau, pode trazer para a sociedade.

No primeiro (e melhor) episódio da série, intitulado de “Talk Show Murder“, conhecemos a história de Scott Amedure, cujo interesse em participar num talk show, revelou-se fatal após confessar ter uma crush num amigo que não ficou satisfeito em ter a sua sexualidade exposta em televisão. Sendo rico em dividir as mentalidades, este caso evoca questões extremamente importantes. Há uma paixão incrível pelo entretenimento fácil e os talk shows (e muitos reality shows também) manipulam constantemente os intervenientes das suas entrevistas para criar momentos de tensão óbvios para arrecadarem audiências fáceis através do escândalo e da má ética do meio. A verdade é que esta exposição de um tema delicado como a orientação sexual pode facilmente fazer ricochete quando esta questão não está propriamente resolvida com os intervenientes. E o facto de haver um meio onde isto é explorado em prole de arrancar mais visualizações convertidas posteriormente em dinheiro, torna-se eticamente cruel, repreensível e condenável.

Mas, para além de homofobia, somos levados por outros dois episódios em que o racismo continua a ser um dos focos de destaque. Um onde quatro jovens afro-americanos são baleados a sangue frio no metro, dando origem a uma dinâmica perigosa entre o que é criminal e o que é uma tentativa de supremacia caucasiana, por um homem que defende veemente que estava prestes a ser assaltado e agredido, com a posse ilegal de uma arma. Há aqui todo um misto preocupante de vermos alguém ser ilibado de um crime, especialmente numa época em que as grandes cidades norte-americanas sofriam de uma “pandemia” criminal. Existem fatores aqui que estão estritamente interligados com a conotação racista com que este indivíduo cometeu o ato que são abordados pelos organismos de imprensa de forma dúbia e pouco substancial.

Trial By Media Series Finale

Para além deste, ficamos ainda mais familiarizados com a precária erradicação do racismo nos EUA, quando quatro polícias enchem (literalmente) um jovem guineense de balas porque “pensaram que iria sacar de uma arma”, nas suas próprias palavras. 41 tiros que foram disparados contra o jovem Amadou Diallo. Nada justifica 41 tiros. Vamos, pelo menos reconhecer que aqui há uma quantidade incrível de uma força policial perigosa e opressiva e que, infelizmente, continua a alimentar muito do atual racismo que ainda está presente na sociedade norte-americana. Estes episódios agem como propulsores de um ativismo descontrolado e de uma revolta que irá continuar a ferir as comunidades se não for corrigido urgentemente. Algo que é ouro aos olhos da imprensa. “Beber” das infelicidades sempre foi uma característica do ser humano que necessita de ser mais comedida para que os resultados do julgamento se mantenham imparciais e “à porta fechada”.

Claro que, para além destes casos mais dolorosos, Trial by Media ainda nos proporciona alguns momentos divertidos, como o caso de King Richard em que o tribunal, literalmente, passa a ser um circo, onde advogados pomposos e sensacionalistas tiram proveito do mediatismo do seu cliente e utilizam-no a seu favor, e em construir uma defesa que se foca mais em impressionar o júri pela veia humorística do que desmascarar os intervenientes envolvidos no processo.

E, surpresa surpresa, nem a comunidade portuguesa ficou fora dos holofotes, quando uma mulher luso-descendente foi violada por seis homens (também eles luso-descendentes) num bar, e cujo desfecho provocou uma onde de revolta numa comunidade que começou a ser associada pejorativamente por uma imprensa provocadora. Ao ver o episódio, quase que fico com raiva da minha nacionalidade, mas há que permanecer imparcial depois de tudo o que foi revelado para o público.

Por fim, Trial by Media foca-se no seu último capítulo no antigo governador de Chicago, Rod Blagojevich e nas teorias da conspiração criadas na sua campanha política como fraude fiscal, corrupção, por aí fora.

Trial By Media Series Finale

O PIOR:

O último episódio é, de todos, o mais fraco, mas não deixa de revelar precisamente o poder que a imprensa tem sobre as pessoas que querem estar informadas.

As questões levantadas por Trial by Media são extremamente relevantes, ainda que sinta a necessidade de que a maioria dos casos abordados são já bastante conhecidos e, ressurgirem novamente no panorama televisivo, pode ser apenas um revisitar de algumas dores e mágoas que deviam estar trancadas já a sete chaves. No entanto, dependendo da perspetiva com que se acompanha esta mini-série, uma coisa é certa: o que se passa dentro de um tribunal, não deveria ser “à porta-aberta” à imprensa. Estamos a lidar com as vidas de pessoas, independentemente de quem é inocente ou culpado. A verdade é que a imprensa é influenciadora de um público que está avidamente a consumir algo que vai ficando cada vez mais descontrolado à medida que se vai insistindo constantemente no mesmo. Tal como a CMTV, a televisão noticiosa sensacionalista é extremamente perigosa e pode trazer consequências devastadoras para o veredicto dos julgamentos.

Ainda assim, Trial by Media tem uma mensagem direta, extraordinariamente complexa e, embora nem todos os episódios tenham a mesma força, pretendem elucidar-nos sobre os perigos da imprensa descontrolada, o que, por si só, é um feito admirável.

Trial By Media Series Finale

Estado da Série: TERMINADA

Leiam outras Mini-Reviews aqui.

0 85 100 1
85%
Average Rating

Trial by Media é uma mini-série documental extremamente relevante, que expõe o lado mais negro da imprensa enquanto mediadora de alguns dos casos mais emblemáticos dos EUA.

  • 85%

Comments