Mini-Reviews TV TV

Gangs of London – Season Finale – 1ª Temporada

Gangs of London Season Finale

CONTÉM SPOILERS DE GANGS OF LONDON!

What a ride, guys! Gangs of London é a nova experiência mafiosa que, até agora, todos os fãs do género precisavam. Foca-se na morte do maior mafioso de Londres e no seu filho que tenta, não só descobrir o assassino do seu pai, como tem de lidar com o negócio e com todas as investidas dos gangues multiculturais que dominam as diferentes regiões da cidade. Entretanto, um polícia infiltrado pretende derrubar toda esta vaga de crime organizado que está a tomar proporções impossíveis de controlar.

Gangs of London Season Finale

O MELHOR:

Gangs of London é uma série extremamente versátil e engenhosa.

Reinventa-se constantemente, ainda que não seja perfeita. Aliás, por vezes é tão ambígua e tem um argumento tão denso que se torna confusa e pouco explicativa, mas já lá vamos. Gangs of London conta, acima de tudo, com performances carismáticas e um enredo que nos deixa constantemente a duvidar das intenções das personagens, mas explode de vida quando dá início às sequências de ação magistralmente coreografadas.

Graças ao talento do realizador de The Raid, Gareth Evans, Gangs of London torna-se uma rampage de violência com uma quantidade extrema de sangue que arregala os olhos dos espectadores. É uma característica que se torna essencial às produções de máfia e que são, muitas das vezes, suavizadas por enredos político-burocráticos como em Peaky Blinders. Entender o complexo universo do crime organizado por ter muitas abordagens, já que sabemos que todas as redes mafiosas operam de forma diferente. No entanto, Gangs of London incute uma nova vertente que injeta muito mais adrenalina e credibilidade às mortes que estão automaticamente ligadas a este universo.

Gangs of London Season Finale

Liderada por um elenco talentoso, com destaque para Joe Cole (também ele proveniente de Peaky Blinders), Gangs of London é imparável durante os primeiros cinco episódios. De facto, o quinto episódio é tão violento e tão intenso, que é admirável o reconhecimento do talento de Evans com a câmara e na filmagem da ação quase sem cortes. Para além disto, toda uma componente técnica ajuda Gangs of London a criar a sua própria marca dentro de um género demasiado formulaico.

Nem tudo é maravilhoso, é certo, mas Gangs of London, após doses de massacre visualmente cativantes, abranda o seu ritmo, permitindo que a história floresça e que os elementos mais cliché do género tomem conta da narrativa. Isto pode parecer contraditório, já que o ritmo da série tem um decréscimo de ação significativo ao longo dos restantes episódios. Mas, após muita reflexão (porque algumas componentes do argumento são especialmente confusas e complexas), fico com a sensação de que era necessário tomar este partido. Uma série não sobrevive apenas do seu grafismo intenso e da violência explícita que é demonstrada inicialmente. É necessário abertura para que haja alguma percentagem de fluxo dramático para atribuir camadas às personagens.

Embora nem todas as decisões sejam as melhores, Gangs of London mistura imensas personagens em diversos contextos e, mesmo que nem sempre o consiga fazer de forma credível, pelo menos consegue transportar o espectador para os diferentes meios em que as personagens se inserem e de desmascarar as suas motivações – quase sempre – com clareza.

Gangs of London Season Finale

O PIOR:

Por muito que Gangs of London seja inovadora em muitos aspetos, há certas atenuantes à complexidade do seu mundo.

A série está empanturrada de diferentes linhas de história e vai deixando imensas pontas soltas que são esquecidas e que necessitam obrigatoriamente de uma explicação. Mesmo que isso possa acontecer numa temporada seguinte, sente-se que algumas personagens são esquecidas por já não pertencerem à pressão frenética de se atingir um clímax imediato.

O próprio final é surpreendente e confuso, na medida em que há uma névoa que paira sobre os motivos dos argumentistas, que não é explicado com clareza ao público. A falta de uma justificação plausível é o maior inimigo de Gangs of London e um que a prejudica nos episódios finais. A série é forte a muitos níveis e recuperou a essência da máfia enquanto género televisivo, deixando de parte políticas de difícil digestão e compreensão, e abrindo portas para a violência explícita que também está intrinsecamente ligado ao mesmo. Mas a narrativa atrapalha-se a certa altura, tornando o desenlace da temporada confuso e sem força.

No entanto, sem saber propriamente que rumo a série quer assumir, teremos de esperar para vermos até onde ela irá. Estará tudo pensado ao pormenor, ou realmente a equipa de argumentistas atrapalhou-se e não soube como lidar com a quantidade imensurável de personagens?

Gangs of London Season Finale

Mas mesmo com tudo isto, Gangs of London é uma série extremamente cativante e que revoluciona um género estagnado em si mesmo pelas suas próprias convenções. A mudança é boa, mas precisa de ser ainda mais credível para chegar ao estatuto que pretende.

Estado da Série: STAND-BY

Leiam outras Mini-Reviews aqui.

0 85 100 1
85%
Average Rating

Gangs of London é uma série revolucionária no género da máfia e as comparações com Peaky Blinders são inevitáveis. No entanto, mesmo sendo prodigiosa nalguns ramos, a série perde força por os argumentistas se atrapalharem com o desenvolvimento da história, o que a prejudica nos episódios finais.

  • 85%

Comments