Cinema Críticas

Crítica: Bloodshot (2020)

CONTÉM SPOILERS DE BLOODSHOT!

Como qualquer estrela de ação, Vin Diesel não é propriamente um ator de muitas palavras, nem muito seletivo nos novos projetos que decide iniciar. O franchise de Velocidade Furiosa, que aguardamos ansiosamente que regresse ainda este ano (ironicamente falando), está atualmente na sua 9ª corrida. Um marco histórico para uma saga que encanta os jovens que procuram ação sem limites e que, por conseguinte, desencanta aqueles que preferem um serão artístico e de entretenimento no seu mais alto nível.

Bloodshot Critica de Cinema

Bloodshot é a nova aventura deste Jean-Claude van Damme, Steven Seagal, Chuck Norris, Arnold Schwarzenegger, Sylvester Stallone wannabe. Baseado numa banda-desenhada do mesmo nome, Bloodshot segue a história de Ray Garrison que, após ser morto por um misterioso indivíduo, é ressuscitado sob a forma de um robô constituído por partículas nanobites (ou nanites ou sei o lá o quê) que o fazem ser uma máquina de guerra infalível e quase indestrutível.

Num breve surto de memória, Ray relembra ver a sua mulher a ser assassinada e logo parte numa buscar incessante pelos culpados do seu homicídio. A receita perfeita para uma estrela como Vin Diesel. Apesar de estar a ser irónico no tom, porque o filme é absolutamente desnecessário, repetitivo e superficial, Bloodshot conta com algumas sequências de ação engraçadas que misturam um certo tradicionalismo de violência com alguns planos em câmara lenta para realçar o poder destas partículas tecnológicas que compõem agora a corrente sanguínea do protagonista.

Bloodshot Critica de Cinema

Os tons néon ajudam em certa parte a que o espectador se sinta entretido durante as sequências, mas o argumento é tão surrealmente cliché e precário que o interesse se desvanece rapidamente. Para além disto, os visuais de Bloodshot são, por vezes, chatos e nada trazem de novo àquilo que estamos habituados a ver no típico registo da estrela de ação que encabeça o elenco.

Para além disto, atores como Sam Heughan, Eiza González e Guy Pearce são desperdícios completos de personagens ocas, vazias e sem as motivações bem definidas. Tudo em Bloodshot é igual a muitos outros filmes do género, com outras estrelas de ação que se consagraram no meio. Não é um filme que recomende a ninguém que aprecie o cinema pela sua vertente criativa, mas certamente encontrará a sua base de fãs naqueles que simplesmente querem ver, peço desculpa pela expressão, explosões e pancadaria sem qualidade.

A verdade pura e dura é que Bloodshot podia muito bem ir direto para DVD como acontece a muitos dos ícones de ação mencionados em cima. Vin Diesel nunca muda. A sua expressividade é tão má que nem as cenas dramáticas consegue suportar. Já para não falar que esta fórmula impede-o de progredir como ator.

Bloodshot Critica de Cinema

Neste serão de quarentena, Bloodshot é um filme a evitar e que não traz nada de novo nem diverte por ser uma reciclagem de muitas outras películas do género.

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Bloodshot

Título Original: Bloodshot

Realização: Dave Wilson

Elenco: Vin Diesel, Guy Pearce, Eiza González, Sam Heughan, Lamorne Morris, Toby Kebbell, Talulah Riley.

Duração: 109 min.

Trailer | Bloodshot

Comments