Mini-Reviews TV TV

Lost in Space – Season Finale – 2ª Temporada

Lost in Space Season Finale

PODE CONTER SPOILERS DE LOST IN SPACE!!!

Não se pode ignorar o simples facto que, entre séries tanto de ficção como não-ficção, filmes, documentários, especiais de stand-upwhatnot, a Netflix contém um dos catálogos mais ricos dentro da concorrência. Por isso, é bastante normal que, no meio de tantas séries e filmes que ganharam pontos de popularidade entre os fãs e que também foram aclamados pela crítica especializada (alguns dos seus produtos já tiveram direito a algumas nomeações para alguns dos certames mais importantes da indústria), existam algumas que passam praticamente debaixo do radar de muita gente, eu inclusive. E é nesse panorama que encontramos Lost in Space, que regressa para a sua segunda temporada.

Sete meses se passaram desde os eventos da temporada anterior, com os Robinsons – John (Toby Stephens), Maureen (Molly Parker), Judy (Taylor Russell), Penny (Mina Sundwall) e Will (Maxwell Jenkins) – Don (Ignacio Serricchio) e Smith (Parker Posey) a tentar sobreviver num planeta inóspito. No entanto, uma série de eventos leva a esta “família disfuncional” a escapar para se encontrar com o resto dos colonistas. Mas o espaço reserva ainda mais perigos nas mais estranhas fontes.

Lost in Space Season Finale

O MELHOR:

Um dos melhores elementos da temporada anterior de Lost in Space residia nos próprios Robinsons, ainda que a sua dinâmica não estive completamente desenvolvida de forma a ser de forma “real”. Felizmente, esta temporada solidifica a dinâmica destes cinco overachievers de forma a estes se revelarem como uma família verdadeiramente unida, apesar dos seus defeitos. Além disso, a temporada vai mais longe e consegue solidificar um par de dinâmicas mais particulares, nomeadamente entre John e Judy (o que resultou no quinto episódio, Run, um dos mais comoventes da temporada) ou entre Maureen e Penny. Já Will possui um repertório razoável com todos, mas é claro que a sua dinâmica da temporada está reservada para o Robô (Brian Steele), que também sofre as suas alterações surpreendentes e que ajuda a cimentar o lore que a série nos pretende demonstrar durante os próximos anos (isto é, se a Netflix demonstrar interesse numa potencial renovação).

E claro, temos de incluir o elenco secundário, nomeado em Don e Smith. O primeiro cada vez mais mostrando o seu lugar como um aliado de peso para as artimanhas científicas dos Robinsons (funcionando como aquele “tio porreiro” que cada um de nós possui nas nossas famílias). No entanto, é Smith que acaba por se redimir depois de uma estadia bizarra na temporada anterior. Claro que, durante o decorrer dos 10 episódios, a vigarista vai mudando de lealdades como quem muda de roupa numa base diária, mas esta temporada vai um pouco mais longe ao demonstrar um vislumbre do seu misterioso passado, com Posey a oferecer uma performances menos cartoonesca e com um pouco mais de nuance.

Lost in Space Season Finale

Sendo esta uma nova temporada, seria de esperar que pudéssemos encontrar algumas caras novas pelo meio. E embora tal se tenha registado, a maior parte delas resignou-se para pequenos destaques para depois fazerem parte do espaço cénico ou simplesmente não serem mencionadas. Não é esse o caso de Ben Adler (JJ Feild), um homem fascinado pela estranha ligação entre Will e o Robô. Quando tudo parecia indicar que o personagem não podia ser mais previsível (no sentido de colocar uma espécie de aura de sedução entre ele e Maureen ou uma reflexão negativa de Will caso as circunstâncias estivessem invertidas), o desenrolar da temporada consegue oferecer uma melhor contextualização do seu estado mental, um pouco do seu passado e do seu conflito interno atual.

Lost in Space Season Finale

O PIOR:

De uma forma geral, Lost in Space melhora bastantes aspetos da sua temporada anterior, já não falar de nos dar dicas sobre o lore em redor do Robô e da sua misteriosa raça. No entanto, é sempre mais do mesmo: os Robinsons e companhia a enfrentarem as várias ameaças que advêm da exploração no espaço. No entanto, e apesar de algumas soluções até apresentarem alguns conceitos científicos mais contemporâneos (em detrimento dos vários deus ex machina ou variantes), acabam por ser ameaças aborrecidas, só mudando algumas fontes das mesmas.

Ainda se desconhece se a Netflix renovará a série para uma segunda temporada. Entretanto, podem recordar o nosso parecer da temporada anterior aqui.

Estado da série: STAND-BY

0 78 100 1
78%
Average Rating

Apesar da sua repetição em geral, esta temporada de Lost in Space consegue ser uma verdadeira melhoria em comparação com a sua antecessora nas maneiras mais importantes.

  • 78%

Comments