Doctor Who Frame by Frame TV

Doctor Who – 12×01 – Spyfall (Part 1)

Doctor Who 12x01

PODE CONTER SPOILERS DE DOCTOR WHO!!!

Ora sejam muito bem-vindos, caras/os fãs do CineAddiction! Passaram muito bem o Natal? Tiveram uma passagem de ano agradável? Nós por cá esperamos que sim. Com 2020 como o novo ano, com ele vem também séries inéditas ou veteranas que regressam para novas temporadas desde Janeiro até Dezembro. E, cortesia da BBC, uma das primeiras a agraciar os nossos ecrãs é Doctor Who que, depois de um ano de espera, regressa para novas aventuras pelo espaço-tempo!

Neste episódios, vários membros de algumas agências de inteligências (leia-se: agências de espionagem) vêem-se mortos em circunstâncias deveras estranhas. Sem nenhuma pista por onde pegar, a MI6, em nome de todas as outras agências do globo, vê-se obrigada a recrutar uma fonte inesperada: a Doctor (Jodie Whittaker) e o seu grupo de seguidores!

Doctor Who 12x01

Doctor Who não é necessariamente novata em termos de parodiar e/ou homenagear outros géneros. Aliás, a maior parte dos seus episódios mais fortes recaem necessariamente quando envereda por vias mais à base de terror (Blink continua, até aos dias de hoje, como um dos melhores destaques deste reboot moderno). Portanto, embora não seja necessariamente surpreendente os guionistas tomarem inspiração nas aventuras de espionagem (aliás, era apenas uma questão de tempo), é sempre uma abordagem que traz algo de novo para a série.

E para o seu efeito, acaba por dar doses equivalentes de risco e diversão. Neste último caso, o showrunnerChris Chibnallbusca inspiração nas aventuras clássicas do James Bond pré-Daniel Craig, onde haviam gadgets estranhos a dar com um pau. E de certa forma, tem tanto de saudosismo (para uma época em que a espionagem não se levava tanto a sério como hoje em dia), mas também faz o seu certo sentido dentro do universo de Doctor Who.

Doctor Who 12x01

In true Doctor Who fashion, o episódio consegue introduzir alguns temas atuais para dar que pensar. E temos isso mesmo com a presença de Daniel Barton (Lenny Henry), um multi-milionário responsável pela VOR, um dos motores de busca mais importantes do universo da série (uma espécie de Google, portanto). É praticamente impossível não olharmos para alguns detalhes e não pensar logo de imediato nas várias controvérsias que ocorrem deste lado do ecrã, sejam ele manipulações de voto, cyber bullying, etcetera.

No entanto, os próprios antagonistas do episódio deixam um bocado a desejar. Por um lado, a sua apresentação consegue ser algo verdadeiramente único, mesmo para o universo da série, mas as suas motivações não são nada por aí além, especialmente para quem acompanha a série desde o primeiro momento. Para piorar, acabam por ser mais secundários assim que o verdadeiro vilão do episódio mostra a sua cara (e honestamente, nem esperava esse mesmo twist).

Podem ler o Frame By Frame anterior de Doctor Who aqui.

0 75 100 1
75%
Average Rating

Depois de um ano de espera, Doctor Who regressa com um episódio que, praticamente, serve de homenagem do género da espionagem clássica.

  • 75%

Comments