Cinema Críticas

Crítica: Zombieland: Double Tap (2019)

Zombieland: Double Tap

10 anos.

Se havia coisa que jamais esperaria, era que Zombieland voltaria com um 2º capítulo 10 anos depois do primeiro filme.
Isto porque apesar do sucesso crescente da cultura Zombie na 7ª arte, o ano de 2009 ainda estava a 4/5 anos do seu apogeu com o sucesso mundial de The Walking Dead e o alargamento do seu universo com o Spin-OffFear The Walking Dead.

Pode-se dizer então que apesar de muito acarinhado por quem o viu, Zombieland foi um filme que acabou por ser discreto. No entanto, todos estes anos passados revelaram que quem o viu, não esqueceu.

É certo que na altura em que foi lançado, já estava a explorar território trilhado por The Evil Dead e orientado por Shaun of the Dead, falo da comédia Zombie. No entanto veio ofuscar o pioneiro de maior sucesso e a forma de abordagem da narrativa foi tão única que deu origem a uma fórmula da qual se previa difícil de fugir com este 2º capítulo.

Não inventaram, mantiveram as coisas simples, usaram a mesma forma (e bem!), voltou a resultar.
Tem piada quando precisa de ter piada, cria suspense quando precisa de criar suspense, tem sequências de ação bem medidas e tem exageros quando não são precisos, mas acabam por cair sempre bem, porque é esse o teor do filme: O caos.

É difícil fugir a comparações com o primeiro, mas decompondo a coisa considero que tenham estado mais ao menos ao mesmo nível. Ainda que aos olhos de muita gente, o primeiro seja sempre o melhor, por ser o “original”.

Em relação ao cast (que é a parte mais rica desta saga), temos claramente um Big 3, composto pelo Woody Harrelson (Tallahasse), Jesse Eisenberg (Columbia) e Emma Stone (Wichita), que desde a data de lançamento do primeiro capítulo, juntos já somaram 1 Óscar+5 nomeações e 1 Globo de Ouro+8 nomeações. A química entre os 3 continua on point. Já Abigail Breslin (Little Rock) estagnou e neste filme nota-se bem porquê.
Nota para o risco que houve em apostar em caras novas para assumir o protagonismo e tempo de antena que antes pertencia a Abigail Breslin. Zoey Deutch (Madison) veio monopolizar grande parte desse tempo de antena e com bastante sucesso. Se à primeira vista causa desconfiança, com o decorrer da narrativa damos a mão à palmatória pela personagem hilariante que é Madison.
O trio Rosario Dawson (Nevada), Luke Wilson (Albuquerque), Thomas Middleditch (Flagstaff) reclamaram o resto do protagonismo e, à semelhança de Zoey, com igual sucesso.

Tendo em consideração que Zombieland regressa com conta, peso e medida, é certo que é um filme que acaba por valer a pena ver no cinema. Salva excepção de fãs de cinema mais conservador e fieis aos clássicos.

Nota: Tem duas cenas pós-créditos e acreditem, valem a pena!

Título: Zombieland: Tiro Duplo

Título Original: Zombieland: Double Tap

Realização: Ruben Fleischer

Elenco: Woody Harrelson, Jesse Eisenberg, Emma Stone, Abigail Breslin, Zoey DeutchRosario Dawson, Luke Wilson, Thomas Middleditch, Bill Murray

Duração: 99 min.

Trailer | Zombieland: Double Tap

Comments