Mini-Reviews TV TV

BoJack Horseman – Midseason Finale – 6ª Temporada

BoJack Horseman midseason finale

PODE CONTER SPOILERS DE BOJACK HORSEMAN!!!

Se me dissessem, há uns anos atrás, que BoJack Horseman, uma série animada da Netflix centrada num cavalo humanóide com problemas atrás de problemas e com um feitio complicado, se tornasse numa das melhores séries que o serviço de streaming nos apresentou até à data, provavelmente estaria a atirar a cabeça para trás e rir-me até não poder mais. Cinco temporadas depois, o que começou por ser uma série com uma clara veia humorística transformou-se num estudo de caso sobre a mente humana, com temas cada vez mais negros a tomarem um certo destaque. Pois bem, BoJack Horseman está de regresso com a sua sexta temporada… que também se revela como sendo a sua última.

Esta sexta temporada arranca pouco tempo após os eventos da anterior, com BoJack (Will Arnett) a dar entrada num centro de reabilitação. Enquanto o protagonista titular faz um esforço para tentar melhorar, os restantes membros do grupo principal também passa pelos seus próprios “demónios”.

O MELHOR:

É o regresso ao que BoJack Horseman já nos habituou, mas com algumas diferenças bem claras.

As cinco temporadas anteriores funcionaram com uma fórmula já habitual: o protagonista titular entra numa nova trajetória que o poderá mudar para melhor, para depois deixar tudo a perder perto do final de cada temporada. Isto traduziu-se em narrativas que se tornaram impossíveis de desassociar com a série em mais do que uma ocasião, como o abuso de alcoól ou de drogas. Mas também tornou-se numa espécie de caso de estudo para os efeitos mais ligados à mente, como a depressão, por exemplo. Portanto, BoJack Horseman sempre foi pautada por estar de mãos dadas a temas que não de fácil acompanhamento, especialmente para séries animadas.

O que difere esta temporada das restantes é que vemos o nosso querido protagonista a mudar para melhor. Isto, claro, dá resultado a um tom mais leve e otimista para a série, o que, sejamos francos, já estava a fazer falta depois de cinco temporadas pautadas por dramas, traumas e eventos chocantes. É uma mudança há muito desejada para os fãs da série, e mais vale que seja agora, na sua temporada final, do que nunca. Claro que isto pode ser visto como uma espécie de setup para a segunda parte da temporada (que, a julgar pelo midseason finale, poderá colocar todo o progresso de BoJack por água abaixo), mas no fim e ao cabo, não só temos de elogiar os argumentistas da série por darem essa vibe, mas também a Will Arnett, que se revelou como a grande surpresa da série ao manter a sua faceta de humor negro acoplada com alguns momentos dramáticos bem executados e que mantém essa mesma tendência nesta primeira parte.

BoJack Horseman midseason finale

Claro que outro dos trunfos de BoJack Horseman reside no seu vasto elenco de personagens sólidos e nas suas aventuras separadas, e cada um deles recebe o seu devido destaque nesta primeira parte da temporada. Por exemplo, vemos Princess Carolyn (Amy Sedaris) a tentar encontrar um equilíbrio entre a sua vida profissional e pessoal, esta última pautada por um bebé adotado; Diane (Alison Brie) também lida com uma profissão que cada vez mais não lhe traz alegria, com o risco a entrar numa forma de depressão; Mr. Peanutbutter (Paul F. Tompkins) também enfrenta a sua própria trajetória pautada por sentimentos de culpa (e que evocam o movimento #MeToo, de certa forma); e Todd (Aaron Paul) também enfrenta um trajeto difícil até certo ponto, mas de todos, é o que mais se aproxima de uma mentalidade mais humorística. São elementos que colocam o elenco em trajetos separados, mas não deixam de fazer sentido no mundo de BoJack Horseman.

BoJack Horseman midseason finale

Outro elemento vencedor da série, fora o estilo gráfico (que se mantém inalterado, felizmente), reside na forma como BoJack Horseman tende a refletir casos importantes da sociedade atual e dar-lhe o seu próprio spin satírico. Um dos recurring gags reside na Whitewhale, uma mega-empresa que, sou-vos sincero, faz-me recordar sobre o caso das aquisições agressivas da Disney em tempos recentes. Temos também questões sobre as greves de sindicatos, ou o papel da mulher num panorama cada vez mais masculino e afins, e acabam por surtir o efeito desejado.

O PIOR:

Pouco ou nada há a apontar para BoJack Horseman nesta temporada final. Estes primeiros oito estão claramente direcionados para uma conclusão, com os restantes episódios a servirem de um final que muita gente não está desejosa que aconteça, mas que se torna também ele inevitável.

Felizmente, também não teremos de esperar assim tanto tempo, com a última fornalha de episódios a chegar à Netflix a 31 de janeiro do próximo ano. Por isso, não falta assim tanto tempo.

Até lá, podem recordar a nossa crítica à temporada anterior de BoJack Horseman aqui.

Estado da série: STAND-BY

0 88 100 1
88%
Average Rating

Embora estejamos perante a sua temporada final, BoJack Horseman regressa com os elementos vencedores que nos fizeram apaixonar pela série em primeiro lugar, embora com um tom claramente mais leve e com os restantes episódios preparados para caminhos ardilhosos.

  • 88%

Comments