Cinema Críticas

Crítica: Anna (2019)

Quando me falam de obras do realizador francês Luc Besson, existem sempre três filmes que saltam logo para a mente: La Femme NikitaThe Fifth Element e, claro está, Léon: The Professional. Para seu mérito, Besson tem um jeito especial para criar histórias com uma clara veia de ação, e é esse mesmo mérito que não pode, nem deve, ser retirado, apesar de estarmos perante um filme medíocre ou mesmo nas suas mais recentes polémicas. Anna, a mais recente das suas obras em que trabalha tanto como realizador como guionista e produtor, é um desses casos: um filme-pipoca que muito certamente fará o gosto dos fãs, mas que se revela como uma experiência que não deixará um impacto marcante.

O filme centra-se na titular Anna (Sasha Luss), uma mulher russa de uma beleza única que acaba por se tornar numa super-modelo. No entanto, esta é apenas uma frente, uma vez que Anna é, secretivamente, uma espia ao encargo no KGB. Com cada missão cumprida, Anna vê-se cada vez mais distante do seu sonho, o que a atira para um trajeto repleto de voltas e reviravoltas.

Anna Crítica de Cinema

Tal como tinha mencionado acima no parágrafo inicial, existe um mérito na tática de Besson na conceção de sequências de ação sem rodeios. E para esse efeito, Anna consegue cumprir bem com essa tarefa, com algumas das sequências do filme a serem o ponto alto do filme. Seja pela testemunho da primeira missão de Anna pelo KBG ou uma montagem das suas mais variadas missões ao som de um clássico dos anos 80, Anna exibe as suas maiores forças durante esses momentos, com os parabéns a terem de ser necessariamente assinalados tanto aos atores que representam essas mesmas cenas como a equipa técnica, desde a equipa de filmagens até aos responsáveis pelos coordenadores de stunts. Ainda assim, e apesar da execução invejável, está longe de apresentar níveis de criatividade que vimos em filmes de ação americanos como John Wick ou Atomic Blonde.

Outro ponto misto reside no enredo a cargo de Luc Besson. Existe uma certa previsibilidade quando se começa do ponto A até ao ponto B do filme. Apesar desta previsibilidade, a escrita de Besson tem uma estrutura diferente do habitual no seu repertório. A visão principal do filme reside no trajeto pessoal de Anna e nas suas ambições. No entanto, em mais do que uma ocasião, esse mesmo ritmo aparente fica “atrasado” para nos conceder alguns flashbacks que complementam a história de Anna. Não só permite-nos conhecer melhor a personagem titular, mas também complementa a narrativa principal que nos concede uma melhor contextualização sobre os eventos que vamos testemunhando.

Anna Crítica de Cinema

Claro que uma história assim só funcionaria se tivesse um elenco à altura. Infelizmente, esse é elemento que, por muito que tente, Anna não consegue usufruir no seu máximo. Claro que temos direito a presença de veteranos no ramo como Cillian Murphy, Luke Evans ou mesmo Helen Mirren (e esta última recebe, muito possivelmente, as melhores linhas de diálogo do filme), e eles tentam dar o seu melhor, mas no fim e ao cabo, acabam por ter performances que recaem no nível adequado. No sentido de não serem más, mas também não são propriamente algo de extraordinário, especialmente considerando que os três já deram provas de maiores capacidades (e mesmo amealhando papéis em filmes e/ou séries capazes de elevar ainda mais a fasquia).

Infelizmente, o mesmo não se pode aplicar a Sasha Luss. Para seu mérito, esta protagoniza as suas cenas de ação de forma bem impecável, o que não é mau para quem se está a estrear na indústria do entretenimento após anos como modelo. No entanto, acaba por ser mais como uma cara bonita do que outra coisa. Quem sabe, Luss poderá ter outra hipótese dentro do ramo dos filmes de ação, mas aqui, esta não demonstra uma presença mais vincada no filme, e o mesmo se aplica à clara ausência de química entre os seus colegas.

Ainda assim, Anna consegue ser um filme adequado para os amantes do cinema de ação. Claro que, no fim e ao cabo, acaba por ser visto e esquecido assim que os créditos começam a rolar, mas como fonte de entretenimento, conseguem cumprir com a sua missão.

Podem ler outras Críticas aqui.

Título: Anna – Assassina Profissional
Título Original: Anna
Realizador: Luc Besson
Elenco: Sasha Luss, Helen Mirren, Luke Evans, Cillian Murphy, Lera Abova
Duração: 
119 minutos

Trailer | Anna

Comments