Cinema Críticas

Crítica: Variações (2019)

Variações Crítica de Cinema

António Variações é um nome enraizado na cultura portuguesa. Um daqueles que viveu muito pouco para o talento que borbulhava nas suas veias. Apesar do seu curto legado, Variações tornou-se um vulto que definiu uma geração em Portugal e que quebrou tabus e preconceitos numa altura em que a sociedade portuguesa ainda estava envolta numa neblina de aceitação social.

Variações Crítica de Cinema

O filme de João Maia conta algumas porções da vida do artista, já que muito pouca informação sobre a sua elusiva vida estaria disponível em arquivo. Variações era um homem de uma única ambição: compor a sua música e mostrá-la ao mundo. Ficamos a conhecer, então, alguns dos seus aspetos mais pessoais e a sua ascensão musical através da película.

Apesar de ser um filme interessante e ser corajoso o suficiente para pegar na vida de alguém que se sabe tão pouco, Variações é um biográfico mediano, com uma prestação magnífica de Sérgio Praia, uma montagem razoável e uma realização simples. Perde por seguir muito o formato de Bohemian Rhapsody, não conseguindo marcar pela diferença após toda a campanha de marketing em torno do seu lançamento. Utilizar uma tagline tão forte como: “Um homem a cores num país a preto e branco” (que é simplesmente genial) é algo que incita uma mudança, uma diferença, uma luta fugaz. O filme não fez jus a esta mudança ou explorou de que forma a música de Variações teve impacto no meio social do seu tempo. Ainda assim é muito agradável e um exercício que mostra que os portugueses sentem apreço pelas figuras que tornaram a nossa cultura ainda mais rica. Bonito, mas sem magia suficiente para ficar na memória.

Variações Crítica de Cinema

Portanto, Variações enquanto objeto de entretenimento consegue roçar um pouco do necessário, mas precisava de mais para criar impacto. O apreço da equipa é nítido e Sérgio Praia é exímio em transmitir a garra do cantor, mas o argumento não consegue alimentar o filme com material suficiente para nos deixar deslumbrados com a personalidade que representa.

Com o crescimento de biográficos musicais de grandes vedetas nacionais ou internacionais, Variações é um começo ameno, mas um que, apesar de todos os seus defeitos mais superficiais, contém uma prestação que nos faz apaixonar quase que instantemente com o protagonista o que, por si só, é um acontecimento bonito no cinema português.

Sente-se também que Variações sabe jogar com a tecnicidade (e pelo menos não há playback como em Bohemian Rhapsody) dentro da sua simplicidade, com uso de tons coloridos e um guarda-roupa adequado, bem como a apresentação de algumas personagens de forma clara e que alimenta a história gradualmente com alguma informação interessante.

Mesmo assim pedia-se um pouco mais, tal como mencionado acima. Mas, pelo menos, não é uma atrocidade nem medíocre. É agradável e competente na representação e, por isso, já vale a pena a ida ao cinema.

Variações Crítica de Cinema

Título: Variações

Título Original: Variações

Realização: João Maia

Elenco: Sérgio Praia, Filipe Duarte, Victoria Guerra, Augusto Madeira, Teresa Madruga, Tomás Alves, José Raposo.

Duração: 109 min.

Trailer | Variações

Comments