Mini-Reviews TV TV

Wu Assassins – Season Finale – 1ª Temporada

Wu Assassins season finale

PODE CONTER SPOILERS DE WU ASSASSINS!!!

Durante uma boa porção dos anos 90 – numa altura em que a Internet, além das limitações do tempo, não era para todos – lembro-me de sintonizar a televisão durante as tardes de fim-de-semana para ver os clássicos filmes de artes marciais protagonizados por Jackie Chan. Claro que esses mesmos filmes podem não ter envelhecido bem de acordo com os critérios modernos, mas não deixam de ser aqueles filmes-pipoca que nos dá prazer ver e rever vezes e vezes sem conta, nem que seja para vermos Chan a desferir os seus icónicos golpes de kung fu (e por vezes alguns bloopers). Esta menção não é por acaso, porque é isso mesmo que sinto após ver Wu Assassins, a mais recente aposta da Netflix no mundo das séries de artes marciais: muito estilo, mas pouca substância.

Na série, Kai Jin (Iko Uwais) é um chef sino-indonésio que ocasionalmente trabalha no restaurante de uma amiga de infância, Jenny (Li Jun Li) e isto sem mencionar o facto de manter uma relação complicada com Uncle Six (Byron Mann) que, além de ser o chefe de uma das Tríades de Chinatown, em São Francisco, também é o pai adotivo de Kai. A sua vida muda por completo quando a misteriosa Ying Ying (Celia Au) lhe abençoa com o poder – e caras – de mil monges, tornando-o no mais recente – e último – Assassino Wu. A sua missão? Encontrar e matar cinco Chefes de Guerra Wu, cada um deles capazes de manipular um dos cinco elementos do folclore chinês: Água, Fogo, Terra, Madeira e Metal.

Wu Assassins season finale

O MELHOR:

Wu Assassins, para todos os efeitos e circunstâncias, coloca o grande foco na ação do que propriamente na narrativa.

Quando se desenvolve uma série com um claro foco em ação, é quase exigido que as sequências apresentadas consigam captar o nosso interesse. E para todos os efeitos e circunstâncias, Wu Assassins mostra os seus maiores trunfos nas mesmas. Seja pela coreografia vertiginosa ou pelos planos de filmagens por vezes íntimas, é sempre um prazer ver alguns dos atores presentes na série – alguns deles com clara experiência na área do entretenimento da área das artes marciais – a desferirem alguns dos golpes mais duros vistos numa série da Netflix.

Wu Assassins season finale

O PIOR:

Infelizmente, Wu Assassins fracassa no resto.

Valendo o que vale, a narrativa da temporada sofre um boost na sua segunda parte, seja na exploração do mundo e da mitologia que a série tentou estabelecer, como no desenvolvimento de alguns dos personagens (um dos casos mais sonantes é o de Mann e do seu Uncle Six). Dito isto, a primeira parte resume-se praticamente a apresentar os main players desta narrativa, os seus passados e dinâmicas e pouco mais do que isso. Embora mostrem alguns casos da vida real que é impossível não olhar para o outro lado, fica a ideia de que estes são estabelecidos de forma quase desinspirada e depois são atirados para a boca do lobo.

E mesmo estes tendem a ser bem melhores que o tratamento recebido por Katheryn Winnickque se mostra como uma detetive incumbida de impedir uma guerra entre gangues. Embora seja sempre bom vermos Winnick a libertar aquele seu lado mais durona a que nos habituou desde o primeiro momento de Vikings, a sua inclusão é mais estética do que dotada de qualquer impacto. E mesmo ela supera Iko Uwais. Sim, este artista brilha quando torna-se no epicentro das melhores sequências de combate corpo-a-corpo durante a série, mas como ator? Deixa bastante a desejar!

Wu Assassins season finale

E quanto menos falarmos sobre os efeitos especiais que Wu Assassins apresenta, melhor! Felizmente, a temporada não faz um uso tão excessivo dos mesmos, optando por uma vertente mais terrena, mas quando aparecem, parecem saídos diretamente de um estúdio amador. Ou, pior ainda, de um filme chinês bastante barato!

Portanto, Wu Assassins acaba por nos lembrar dos vários filmes protagonizados por Jackie Chan: a narrativa e desenvolvimento das personagens podem ser quase inexistentes, mas são as cenas de ação criativas que nos agarram logo de imediato.

Desconhece-se se a Netflix renovará a série para uma segunda temporada, se bem que o cliffhanger deixa essa possibilidade bem patente. Até lá, podem reler outras das nossas Mini-Reviews aqui.

Estado da série: STAND-BY

0 62 100 1
62%
Average Rating

Wu Assassins revela-se como outro fracasso para a Netflix em termos narrativos, mas pelo menos as suas cenas de ação conseguem ser bem cativantes.

  • 62%

Comments