Mini-Reviews TV TV

3% – Season Finale – 3ª Temporada

3% Season Finale

CONTÉM SPOILERS DE 3%!

Michele está a cargo da Concha, o novo refúgio para enfrentar o Maralto, mas uma tempestade de areia ameaça o seu futuro. Com a instabilidade pela falta de comida, os habitantes da Concha começam a entrar em desespero, levando a uma tomada de decisão difícil. Com isto, Joana decide infiltrar-se na mesma e remover Michele do poder. No entanto, novos desenvolvimentos levam a uma perigosa reviravolta e que pode ameaçar o futuro dos poucos que ainda restam.

3% Season Finale

O MELHOR:

Apesar de todos os seus defeitos, 3% ainda consegue apostar nalgumas das suas personagens.

É também importante que sejam revelados alguns detalhes do passado para entendermos exatamente como este mundo dividido entre pobreza e riqueza surgiu. Os flashbacks acabam por ajudar nesta questão, apresentando uma realidade que não conhecíamos do Maralto, da Causa e de alguns novos intervenientes que se tornaram fulcrais nos eventos que vão decorrendo.

É também engraçada a maneira como a personagem de Joana é trabalhada. Vaneza Oliveira está longe de ser uma atriz competente, mas a evolução de Joana ajuda a que o espectador crie uma empatia diferente com 3%. Há também alguns momentos divertidos, apesar das dificuldades performativas dos atores e da história repleta de clichés, especialmente as sequências de filmagem bonitas no deserto.

3% Season Finale

A lei da sobrevivência é o foco principal de 3%. Uma que já não é propriamente original e as semelhanças com The 100 acabam por não surtir um impacto maior. Mas sempre que a série se foca nas decisões moralmente condenáveis, o público acaba por nutrir um certo apreço. Mesmo assim, não é suficiente para elevar 3% a um patamar de referência.

O PIOR:

É precisamente por todas as fragilidades performativas que 3% perde imenso da sua força.

O elenco é pobre, os diálogos são terrivelmente básicos, já para não falar do orçamento débil que remove algum carisma. A “história ampliada” é também um problema sério. 3% tenta explorar o seu universo, mas não tem maturidade nem talento para sustentar tudo aquilo que pretende fazer.

Ao focar-se nas suas personagens e a desenvolvê-las é, sem dúvida, o seu ponto forte, mas ao criar uma intensidade demasiado melodramática, 3% torna-se frágil e desinteressante. E muito disto se deve ao fraco talento dos atores e da realização pouco trabalhada. Bianca Comparato é uma protagonista muito pouco carismática e não nos agarra convictamente às cenas mais importantes da temporada.

3% Season Finale

É também pena que 3% caia constantemente no erro de tentar puxar ainda mais pelo seu elenco que não consegue alimentar uma narrativa por vezes agradável. A intensidade dramática é tão pobre que, momentos de alguma seriedade, se tornam caricaturais, levando o espectador a estremecer de nervosismo e a revirar os olhos.

Apesar de ser de fácil digestão, 3% está cada vez mais pobre e desnecessariamente maior em dimensão argumentativa. Um erro grave para uma série com tão pouco de original a oferecer.

Estado da Série: STAND-BY

Leiam a nossa Mini-Review anterior de 3% aqui.

0 45 100 1

45%
Average Rating

A nova temporada da série brasileira da Netflix continua a não conquistar, com dificuldades extremas por parte dos atores em serem convincentes e com uma história demasiado frágil e pouco original.

  • 45%

Comments