Mini-Reviews TV TV

Mr. Iglesias – Season Finale – 1ª Temporada

Mr. Iglesias Season Finale

PODE CONTER SPOILERS DE MR. IGLESIAS!!!

No meio de tantos filmes e séries que andam à volta dos mesmos géneros habituais – ação, comédia, drama e, maioritariamente, super-heróis – dificilmente encontro um método para poder respirar de forma mais livre e ver algo somente pelo gosto de ver. No meu caso em particular, encontro esses guilty pleasures na forma de espetáculos de stand-up comedy. Esta é uma vertente em que podemos encontrar comediantes veteranos e novatos, daí encontrar alguns favoritos aqui e acolá. Um dos meus favoritos é, sem sombra de dúvida, Gabriel Iglesias – também conhecido simplesmente como Fluffy – e muito do meu apreço se deve ao facto de atacar alguns temas relevantes para a comunidade latinx com humor e boas doses de “coração no sítio certo”. Pois bem, de uma forma surpreendente, Iglesias estreia-se como protagonista de uma sitcom da Netflix, e assim chega-nos Mr. Iglesias.

Nesta, Iglesias interpreta uma versão ficcional dele mesmo, aqui tornado num professor de história na mesma escola em que este se formou. Um professor adorado tanto pelo corpo docente como pelos seus alunos. No entanto, quando a direção decide expulsar os alunos “renegados” para aumentar o seu ranking nacional, Iglesias fará tudo por tudo para os ajudar, ao mesmo tempo que lida com alguns problemas do seu dia-a-dia.

Mr. Iglesias Season Finale

O MELHOR:

Mr. Iglesias tem certamente o coração no sítio certo.

One Day at a Time, também ela uma sitcom da Netflix, era um dos casos raros em que a comédia acutilante também tinha uma forte carga social inerente; infelizmente, esses mesmos esforços não a salvaram de um cancelamento por muitos considerado injusto. Portanto, uma grande sombra pairava sobre Mr. Iglesias, que tinha uma enorme fasquia por superar. E embora essa tarefa não seja verdadeiramente elevada, faz o seu melhor conforme como pode ou com o que tem mais à mão. Isto inclui algumas narrativas que atacam não só a representação das minorias, mas também sobre o estado atual do ensino nos Estados Unidos. Tudo isto com a deliciosa ajuda de um humor que, dependendo de caso para caso, consegue trazer resultados semi-satisfatórios.

E uma dessas fontes é o próprio Gabriel Iglesias, que traz as suas melhores capacidades para a série e confere-lhe alguns dos seus melhores momentos, tais como as imitações, a sua presença física ou mesma a sua energia e boa disposição contagiantes. A eles junta-se também um elenco também ele com capacidades, tais como Tony (Jacob Vargas), o melhor amigo de Gabriel e com um sério problema com as apostas; Abigail Spencer (Maggie Geha), uma professora novata cuja ingenuidade dá-lhe alguns momentos engraçados; Ray Hayward (Richard Gant), o professor veterano que prefere dar aulas do que aproveitar a reforma; Paula Madison (Sherri Shepherd), a diretora da escola que precisa mesmo de ter alguma “ação”; e Oscar (Oscar Nuñez), o rígido diretor-adjunto que também serve como “saco de pancada” tanto dos alunos como dos próprios professores. Também existem uns casos especiais no que toca ao elenco juvenil, como Marisol (Cree Cicchino), a melhor aluna da turma da Gabriel que tem também três trabalhos; Mikey (Fabrizio Zacharee Guido), que possui uma espécie de obsessão para com Marisol; Walt (Tucker Albrizzi), que parece estar mais interessado em baldar-se do que frequentar as aulas; Lorenzo (Coy Stewart), que está sempre com as suas teorias da conspiração; Grace (Gloria Aung), uma jovem com clara aptidão para as TIC mas sem jeito para interações sociais; e Kareem (Bentley Green), o astro do futebol que, surpreendentemente, possui uma certa inteligência.

Mr. Iglesias Season Finale

O PIOR:

Apesar disto tudo, Mr. Iglesias também possui uma série de defeitos.

E um deles reside mesmo no humor. Graças à sua experiência nos palcos, Gabriel Iglesias é o “rei da comédia” na série, o que implica que uma grande porção do elenco não consiga manter esse mesmo nível. Exemplos disso são o de Sherri Shepherd que, apesar das suas tentativas, as suas piadas caem numa visão mais risqué, ou o Treinador Dixon (Christopher McDonald), cujas intervenções caem mais no desagradável do que propriamente engraçado.

Mesmo a própria narrativa da série parece seguir uma linha bastante previsível. Sabemos qual é a missão de Gabriel durante este trajeto e os riscos que esta implica. No entanto, a série parece que prefere investir numa posição 100% positiva do que mostrar linhas narrativas em que mostre a realidade de que “algumas batalhas são impossíveis de ganhar, apesar dos esforços”. E isso torna a série também esquecível no final de contas, tornando-se apenas “mais uma” no vasto catálogo de séries da Netflix claramente superiores.

Ainda se desconhece se Mr. Iglesias será renovada.

Podem ler outras Mini-Reviews aqui.

Estado da série: STAND-BY

0 60 100 1
60%
Average Rating

Apesar de algumas narrativas interessantes e Gabriel Iglesias como o centro da comédia, Mr. Iglesias deixa bastante a desejar.

  • 60%

Comments