Frame by Frame The Handmaid's Tale TV

The Handmaid’s Tale – 3×01 – Night

0 94 100 1
94%
Average Rating

PODE CONTER SPOILERS!

Depois do final da 2ª temporada de The Handmaid’s Tale nos ter deixado com o coração nas mãos e com os nervos em franja, especialmente com receio do que poderia vir aí no terceiro ano. June (Elisabeth Moss) teve a sua grande oportunidade de fugir, mas decidiu ficar em Gilead e lutar para salvar a sua filha.

As opiniões podem dividir-se aqui, mas não se podem dividir quando o assunto é a qualidade do início desta nova temporada. Que episódio, meus amigos! Há toda uma nova atmosfera no ar. Ainda que todos os temas que nos chocaram nos anos passados continuem bem presentes, o certo é que agora parece que vemos tudo de uma maneira completamente diferente. Há esperança. Há luta.

Chega de esperar. Chega de baixar os braços. As nossas protagonistas estão prontas para conseguirem a dignidade que perderam. Os close-ups nos olhares estão aqui e mostram-nos que o medo de outrora se transformou. June é o grande rosto da revolução e não poderiamos pedir melhor.

Ela agora pertence ao Comandante Joseph Lawrence (Bradley Whitford), que continua a ser alguém realmente difícil de compreender. Por muito que já as tenha ajudado anteriormente, acho que o homem não é tão bom quanto pode parecer. Ainda assim, é com Nick (Max Minghella) que a protagonista tem a cena mais esclarecedora deste capítulo que, mesmo acontecendo rapidamente, consegue ser eficaz naquilo que nos quer dizer.

Contudo, é a Serena (Yvonne Strahovski) e Emily (Alexis Bledel) que pertence todo o episódio. A primeira começa finalmente a mostrar o arco de mudança que a sua personagem irá sofrer. Ela sempre foi uma mulher bem ambígua, extremamente complexa e agora parece que isso irá ganhar outro peso. Já entendeu que Gilead precisa ser destruída e quem melhor do que a mulher que ajudou a criar tudo?

Já a segunda, entrega-nos a cenas que quase nos mataram do coração esta semana. Com o bebé de June nos braços e pronta para fugir para o Canadá, ela vê-se confrontada com alguns obstáculos que realmente conseguem parar o nosso coração por minutos. Mas é quando ela chega à “zona de salvamento”, nomeadamente ao hospital e recebe inúmeros aplausos, que os nossos olhos não aguentam as lágrimas. Tão bom!

The Handmaid’s Tale continua a manter a qualidade que nos apresenta desde o primeiro ano e isso é algo raro de ver hoje em dia. Com uma fotografia perfeita, uma banda sonora genial e interpretações de sonho, a série tem um inicio extremamente promissor e mal posso esperar para ver o que vem aí!

Podem ler o Frame By Frame de The Handmaid’s Tale aqui. 

0 94 100 1
94%
Average Rating

Comments