Cinema Críticas

Crítica: Contratiempo (2016)

Contratiempo Critica de Cinema

Contratempos. Aqueles pequenos instantes que podem definir um futuro. Aquelas brevidades que podem revolucionar a nossa vida num piscar de olhos. Aquela porção de tempo que é imprevisível e mortífera. Todos nós sofremos com eles e eles são o destaque de uma produção espanhola do realizador Orion Paulo.

Um empresário de sucesso é acusado de um homicídio do qual se diz inocente e acompanhamos a sua versão dos relatos com a advogada que contratou para o defender em tribunal. Os eventos não são propriamente tão lineares e tudo parece envolto numa mistura de males entendidos e contratempos. Mas o que realmente aconteceu? A verdade está sempre nos detalhes, pronta a ser descoberta.

Contratiempo Critica de Cinema

Contratiempo é um filme extremamente palpitante. Um que vai construindo uma narrativa forte ao colocar as personagens em mistério, situações desconfortáveis e brinca com a perceção do espectador face àquilo que os seus olhos acompanham. Apesar de nem tudo ser perfeito, este é um filme que irá apelar aos fãs dos grandes plot twists e que gostam de se sentir em constante nervosismo com o desenrolar dos eventos. Muito ao estilo de The Tourist (ainda que as semelhanças só sejam visíveis lá mais para o final e, por semelhanças, diga-se, defeitos), Contratiempo foca-se nos detalhes para transmitir uma mensagem forte e que prima pelos alicerces do entretenimento, ainda que seja prejudicado pelas suas ambições.

Na simplicidade da sua construção narrativa, o filme acomoda-se em centrar as suas personagens numa ação que está constantemente a alterar-se. O fluxo do que é descrito nos diálogos, por muito excitante e emocionante que possa ser, depressa vai sendo sugado pela necessidade de criar plot twists onde eles já não são necessários. Claro que, para o espectador, à medida que estas mudanças drásticas narrativas ocorrem, mais o interesse vai sendo despertado. Mas, quando eles começam a ser demasiados, a narrativa perde força e realismo. Com isto, Contratiempo acaba por desviar o seu foco de uma história credível, para algo demasiado mirabolante que, no fim, resulta numa perda de identidade.

Contratiempo Critica de Cinema

No entanto, os detalhes são impressionantes. A realização tira proveito de um protagonista carismático e embrulha-se num enredo extremamente bem construído, gradualmente e propositadamente ficando cada vez mais confuso e aliciante. É na força e na garra com que vai adicionando estas camadas de drama e thriller que a mistura resulta num serão de entretenimento extremamente empolgante. Mas, assim que caminha para o seu final, a quantidade de reviravoltas soa pouco sustentável. A história dispara para todos os lados e perde o seu centro e foco num espaço de tempo reduzido (um contratempo… portanto…).

Mas a fórmula está lá e é atraente, ainda que não se mantenha firme do início ao fim. A banda sonora é também bem aplicada, conferindo aos momentos icónicos o tom de mistério necessário, bem como uma fotografia competente. Mesmo não sendo um produto maravilhoso, Contratiempo é um filme que merece uma vista de olhos, e que irá satisfazer certamente todos os fãs que gostam de uma boa história que se rege por aparências e com uma mensagem clara: o carma apanha todos, eventualmente.

Contratiempo Critica de Cinema

Leiam outras Críticas aqui.

Título: Contratempo

Título Original: Contratiempo

Realização: Orion Paulo

Elenco: Mario Casas, Ana Wagener, Jose Coronado, Bárbara Lennie, Francesc Orella, Paco Tous.

Duração: 106 min.

Trailer | Contratiempo

Comments