Cinema Críticas

Crítica: Pokémon: Detective Pikachu (2019)

Pokémon: Detective Pikachu é o filme pelo qual os fãs das fascinantes criaturas fictícias já esperavam há algum tempo e ontem, finalmente, ele apareceu nas salas de cinema e eu já fui assistir.

Já palpitava há algum tempo que o tipo de público que ia encontrar naquela sala ia ser composto por pessoas como eu, ou seja, crianças de 20 e tal anos à espera de matar as saudades de uma infância que promete já não voltar. E olhem que não me enganei: a sala, para uma quinta feira, estava bem mais cheia do que eu esperava e ninguém ali parecia ter menos de 18 anos. É sempre engraçado entrar numa sala de cinema e constatar que estou longe de ser a única ”criança adulta” presente.

Pokémon: Detective Pikachu é um filme que me despertou muita curiosidade, até porque estes eram os meus desenhos animados preferidos em criança (e mesmo em adulta – a colecção de peluches, brinquedos e tazos Pokémon que ainda guardo carinhosamente fala por si) e um dia antes da estreia do filme decidi rever pela centésima vez o primeiro episódio da série e bateu aquela saudade mesmo grande daquela altura. A vontade de ver o filme aumentou.

Fui ver e posso dizer que não me desiludi minimamente. Por acaso estava com receio de achar estranho ouvir o Pikachu (dublado na versão original pelo Ryan Reynolds e pelo Nuno Markl na versão portuguesa) a dizer algo mais do que pika-pii ou Pikachu, mas afinal não foi estranho de todo. E durante 104 minutos fui presenteada com uma bonita história de amizade e coragem, daquelas que nalguns momentos nos fazem rir e noutros aquecem o coração.

Tim Goodman (Justice Smith) é filho de um famoso detective, Harry Goodman (Paul Kitson), que vive na cidade de Ryme, local onde os humanos coabitam pacificamente com os Pokémon ao invés de os capturarem. Tim vive com a sua avó, mas ao saber do desaparecimento do seu pai num misterioso acidente de carro, decide ir para Ryme, onde conhece um Pikachu que pertencia ao seu progenitor. Com a ajuda de Lucy Stevens (Kathryn Newton), uma aspirante a jornalista, Tim e Pikachu dedicam-se a descobrir o que aconteceu a Harry.

Além do Pikachu, o filme está repleto de muitos outros Pokémon: Bulbasaur, Charmander, Squirtle, Psyduck, Charizard, Jigglypuff, Mewtwo, Snorlax, Cubone… E tantos mais, eu não esperava ver tantos, fiquei agradavelmente surpreendida, pois voltar a vê-los é como reencontrar aqueles amigos de infância por quem nutriremos sempre um enorme carinho, passe o tempo que passar.

As personagens são cativantes, bem interpretadas, a história é repleta de acção, é envolvente, cómica, emocionante e bastante fácil de acompanhar, ou seja, não é preciso ser um mega fã de Pokémon para a conseguir compreender. A animação está muito boa e a mistura entre esta e live action resulta muito bem, trazendo à memória o filme Who Framed Roger Rabbit?, cuja história, curiosamente, também envolve um detective e a resolução de um mistério.

Por fim, posso dizer que foram uns minutos muito bem aproveitados e que passaram depressa demais. O filme despertou a minha vontade de voltar a ver as inúmeras VHS que tenho desta franquia, que há de ter sempre um lugar muito especial no meu coração. Pokémon: Detective Pikachu é um filme divertido, adorável e cheio de acção, que promete agradar a miúdos e graúdos.

Leiam outras críticas aqui

Título Original: Pokémon: Detective Pikachu
Título: Pokémon: Detetive Pikachu
Realização: Rob Letterman
Elenco: Ryan Reynolds, Justice Smith, Kathryn Newton, Bill Nighy, Ken Watanabe
Duração: 104 minutos

Trailer | Pokémon: Detective Pikachu

Comments