Cinema Críticas

Crítica: Avengers Age of Ultron (2015)

Avengers: Age of Ultron é a segunda vez em que os nossos heróis favoritos se unem, desta vez para corrigir um erro próprio. Ao descobrir que o cetro de Loki possui uma inteligência própria, Tony Stark e Bruce Banner utilizam-na para iniciar o programa Ultron. A ideia era criar um pacificador, mas este começa a ter a sua própria noção de paz e descobre os erros do mundo. Ultron chega a conclusão que a única solução para a humanidade é a extinção.

Age of Ultron representa um importante capitulo no desenvolvimento do MCU. É neste filme que surgem novas personagens que serão importantes para a história futura do franchise, como Vision e Scarlet Witch (Wanda Maximoff). Mas acaba por ser mais uma história de origem de Vision que por acaso conta com os Avengers para ajudar. Não sendo propriamente um defeito, já que a Marvel gosta de levar o seu tempo ao introduzir e desenvolver personagens neste universo. Apenas pode ser considerado desperdício a união da equipa apenas com esse propósito.

Após o primeiro filme de equipa os fãs esperavam que todas as ameaças futuras teriam de ser grandes o suficiente para unir os heróis. Assim a procura e resgate do cetro de Loki foi uma desculpa pouco convincente. Motivos mais graves como a queda da SHIELD que ocorre em Capitain America: The Winter Soldier seria um motivo mais forte. Isto será um “problema” a ser pensado no futuro destes filmes. Já que se uniram uma vez, a motivo que o volta a pedir terá de ser forte o suficiente.

Dito isto Avengers: Age of Ultron tem muito de bom. Canalizando os aspecto do primeiro filme e acrescentando novos. Ultron é um vilão bem elaborado e o facto de ser criado pelos próprios heróis torna-o ainda mais interessante. Com um propósito “discutivelmente” lógico mas que trás à tona todos os segredos negros e aspectos em que a equipa de heróis choca. Não fosse este o filme que antecede e nos prepara para Captain America: Civil War.

Outro aspecto que enaltece o vilão é a sua aparência. Numa altura bem anterior a Thanos, o motion capture de Ultron era novidade e bem executada. Num filme que sofreu algumas críticas pelos efeitos visuais defeituosos em batalhas tal não se pode aplicar ao vilão. A forma como falava, voava e sobretudo andava estava bem pensada e executada num robô. A isto acresce a óptima banda sonora usada nos momentos certos, a par com uma óptima interpretação da personagem por James Spader.

Quanto aos nossos heróis, cada um tem direito ao seu momento em Age of Ultron. Iron Man e Capitain America reforçam a sua relação de amigos/inimigos. Thor ajuda a preparar a história que se segue pelas suas visões. Banner desenvolve a relação com Black Widow que acaba ão depressa como começa. Haweye tem um tratamento especial neste filme receber uma família inesperada que ainda não é certo que acrescente algo de imprescindível à personagem. Mas há personagens novas que contam com um óptimo elenco e excelentes prestações. Sobretudo Scarlet Witch que é uma personagem que os faz esperavam e que bem usada pode marcar a diferença no MCU.

Conclusão, Avengers: Age of Ultron marca a segunda fase do MCU. Não marca tanto esta fase como o seu precedente no entanto é uma óptima história de desenvolvimento das personagens e introdução de novas. Mais um óptimo filme do estúdio, bem construído e que planta sementes para o futuro do universo. Isto sem se dedicar plenamente a preparar o futuro esquecendo a história que esta a contar no momento.

Título: Vingadores A Era de Ultron

Título Original: Avengers Age of Ultron

Realização: Joss Whedon

Elenco:  Robert Downey Jr., Chris Evans, Chris Hemsworth, Mark Ruffalo, Scarlett Johansson, Jeremy Renner, Elizabeth Olsen, Paul Bettany, Aaron Taylor-Johnson,  James Spader

Duração: 141 minutos

Avengers Age of Ultron | Trailer

Comments