Mini-Reviews TV TV

gen:LOCK – Season Finale – 1ª Temporada

gen:LOCK season finale

PODE CONTER SPOILERS DE GEN:LOCK!!!

No que toca a produtoras de animação, a Rooster Teeth é uma das poucas que ainda vai marcando alguma presença no seio das séries animadas americanas. Do seu currículo ainda nobre, destacam-se Red vs. Blue RWBY, ambas com o seu respetivo estatuto de culto. Ainda que com outros projetos medianamente conhecidos, a mais recente aposta da produtora é este gen:LOCK.

Criada por Gray G. Haddock – que também possui deveres como guionista da série e ocasional participante -, gen:LOCK decorre num futuro próximo, quando os Estados Unidos são atacados por uma misteriosa conhecida apenas como The Union. Quatro anos depois, as forças militares continuam a tentar dar luta à Union, mas sem um claro sucesso. No entanto, e na hora mais negra, as forças militares dão as boas-vindas ao Dr. Rufus Weller (David Tennant) e ao seu programa gen:LOCK.

gen:LOCK season finale

O MELHOR:

gen:LOCK cumpre com a sua promessa de entretenimento para os fãs do género mecha de forma bastante surpreendente.

Apesar de não estar propriamente a par das outras propriedades da Rooster Teeth, tive uma oportunidade de ver alguns excertos tanto de Red vs. Blue como RWBY. E a conclusão a que chego quanto aos termos visuais é que esta série acaba por ser um passo em frente para a produtora. Ainda que mostre alguns sinais em que a animação precisava de ser melhor trabalhada (especificamente no que toca às expressões faciais de alguns intervenientes), a verdade é que estes também revelam-se únicos, ao ponto de nos conseguir entreter do princípio ao fim. Nada mau, considerando que a Rooster Teeth tem concorrência da pesada referente à área da animação em 3D. Animação essa que, diga-se de passagem, chega a meter inveja a algumas séries do mesmo género feitas por outras empresas americanas.

O enredo está longe de ser verdadeira inovadora (bem vs. mal, a exploração da mente humana, entre outros elementos já mencionados noutros media), mas continua a sugar-nos para uma nova aventura a cada episódio semanal. E isto sem mencionar a inclusão de um inimigo que não mostra sinais de cansaço. E apesar de uma boa porção da temporada não contar com um claro antagonista, o caso muda de figura com a inclusão de Nemesis, especificamente as circunstâncias trágicas sobre a sua criação.

Apesar disto tudo, esta é uma série bem indicada para os fãs do género mecha. Não se trata propriamente de uma cópia de outras séries como Neon Genesis Evangelion ou Pacific Rim, especialmente considerando que esta possui a sua própria mitologia e conceitos científicos que a marcam pela diferença.

gen:LOCK season finale

No entanto, o que mais me chocou na positiva foi no elenco. Como colaborador do CineAddiction, fiquei mais atento a gen:LOCK quando soube que David Tennant – mais conhecido por ter trabalhado em séries como Doctor WhoBroadchurch ou Jessica Jones (e que veremos ainda este ano em Good Omens) – faria parte do elenco. No entanto, o elenco está repleto tanto de nomes bem conhecidos dentro da indústria como de novatos, cada um deles com uma performance acima da média para uma série animada. Sabe-se que temos uma série a ter em conta quando atores como Michael B. Jordan, Dakota Fanning, Maisie Williams, Golshifteh FarahaniKoichi Yamadera ou Asia Kate Dillon integram o elenco vocal desta série. (Numa nota pessoal: ter Chad James – o Boomstick da websérie Death Battle, que coloca figuras da cultura pop numa batalha até à morte – deu um novo interesse para a série!)

gen:LOCK season finale

O PIOR:

Apesar de uma animação interessante, uma história envolvente e um elenco de peso, gen:LOCK tem algumas arestas por limar.

Há diversos momentos em que a ação desmiolada (e bela, diga-se de passagem!) parece sobrepor-se à narrativa, com a série a apresentar várias melhorias sempre que os personagens estão no centro da ação (o caso de Val/entina é uma das amostras de como uma série de robôs gigantes consegue ser inclusivo). Infelizmente, nem todos os intervenientes têm direito à mesma atenção ou dedicação (personagens como Miranda e Kazu Iida são exemplos deste caso).

No fim e ao cabo, gen:LOCK serve o seu propósito de nos dar uma versão americana de um género mais ligado a vários animés japonês, mas executa as suas ideias de uma forma bastante original, colocando, na maior parte das ocasiões, a humanidade à frente da máquina.

Ainda se desconhece se a Rooster Teeth renovará a série para uma segunda temporada.

Até lá, podem ler outras das nossas Mini-Reviews aqui.

Estado da série: STAND-BY

0 80 100 1
80%
Average Rating

gen:LOCK pode não ter uma produtora bem conhecida como apoio ou uma ideia verdadeiramente original, mas consegue entreter e colocar o nome da Rooster Teeth na ribalta.

  • 80%

Comments