DC Universe's Doom Patrol Frame by Frame TV

Doom Patrol – 1×04 – Cult Patrol

PODE CONTER SPOILERS DE DOOM PATROL!!!

Dizer que Doom Patrol é uma das séries mais estranhas que a DC já trouxe para as telas (pelo menos, para já) não chega a fazer-lhe justiça, com cada episódio a levar-nos a adotar a postura de Cliff Steele e dizer What the… É algo que os episódios anteriores conseguiram trazer até agora e que Cult Patrol torna a executar, se bem que agora explora um lado que não podia ser mais ideal para este grupo de seres bizarros: magia.

O grupo recebe a estranha visita de Willoughby Kipling (Mark Sheppard), um detetive do oculto e um velho conhecido do desaparecido Niles Caulder, que os recruta para ajudar a impedir que um culto cause a destruição do mundo.

Doom Patrol 1x04

Pessoalmente, posso não ser um grande fã de Supernatural como era dantes, mas isso não implica que não visse a série de forma quase ocasional, entrando em contacto com algumas das personagens mais icónica que essa nos ofereceu. Uma delas era Crawley, o ocasional frenemy dos Winchester e perfeitamente captador por Sheppard (pelo menos até à sua inevitável saída). Pois bem, o showrunner Jeremy Carver – que também serviu de showrunner de Supernatural durante uns tempos – decidiu trazer o ator para interpretar Kipling neste episódio mais místico.

E embora este até se saia de forma bastante decente, a verdade é que ao vermos Kipling em ação, não podemos deixar de ter a ideia de que este personagem serve de cópia desbarata de outro personagem britânico relacionado de forma íntima com o oculto (uma dica: podem vê-lo atualmente em Legends of Tomorrow!). A ironia é que Willoughby Kipling foi criado justamente para ser uma cópia de Constantine no material de origem.

Ainda assim, o aspeto místico de Cult Patrol acaba por trabalhar a favor de Doom Patrol, que interrompe a busca por Niles Caulder e Mr. Nobody em favor de começarem a crescer como uma possível equipa de heróis (mas mais um pouco sobre isso mais à frente). Trazer o Cult of the Unwritten Book acaba por trazer alguns momentos que enaltecem o What the… factor durante quase a totalidade do episódio, algo que ajuda a marcar o episódio de forma relativamente diferente quando comparado com os seus antecessores.

Doom Patrol 1x04

A ideia geral de Doom Patrol é que estes não são heróis por direito, mas sim um grupo indivíduos traumatizados nas mais variadas formas possíveis. E ainda que este episódio continue a assentar na ideia dos traumas do passado [como a relação entre Larry (Matt Bomer) com o ser de energia negativa ou a “cumplicidade” de Cliff (Brendan Fraser) e Jane (Diane Guerrero) como forma de tentarem aliviar os seus traumas], este episódio começou a mostrar um lado mais “heróico” neste grupo. E nenhum deles mostra essa evolução crescente do que Rita (April Bowlby). É interessante ver uma das personagens que menos vontade tem de ser uma heroína a abraçar essa faceta aos poucos e poucos. Apesar de ainda não ter sido desta que testemunhamos de perto os traumas que a acompanham, Bowlby acaba por ser a surpresa do episódio, acoplando drama sentido e humor, além da esperada demonstração dos seus poderes quando esta não se prende muito ao passado.

Como seria de esperar, esta é apenas uma parte do que promete ser um enredo que pode ocupar entre mais um episódio ou vários. Resta esperar para ver o que Doom Patrol poderá oferecer durante o resto da temporada (ainda que esteja numa fase quase embrionária).

Podem ler o nosso Frame By Frame anterior de Doom Patrol aqui.

0 80 100 1
80%
Average Rating

Doom Patrol continua a ser aquela série estranha que estamos a adorar acompanhar, mesmo que abraça o lado mais místico - e tresloucado! - da DC.

  • 80%

Comments