Frame by Frame Marvel's The Gifted TV

The Gifted – 2×15 – Monsters

PODE CONTER SPOILERS DE THE GIFTED!!!

Já só falta um episódio para The Gifted encerrar a sua segunda temporada. E embora este episódio revele as suas fraquezas de forma quase frequente, não deixa de preparar o palco para um confronto em grande escala que poderá redefinir a série daqui para a frente (isto é, caso seja renovada).

O episódio deixou-nos uma forte marca com a suposta morte de Clarice (Jamie Chung). No entanto, este episódio não deu espaço para respirar, com Cait (Amy Acker), Lauren (Natalie Alyn Lind) e um grupo sobreviventes de Morlocks tentam escapar às autoridades no seu encalço. No meio disto tudo, Reed (Stephen Moyer) e Marcos (Sean Teale) tentam manter o movimento em curso enquanto John (Blair Redford) se encontra em choque com a perda súbita. Ao mesmo tempo, Reeva (Grace Byers) expõem o passo definitivo no seu grande plano, algo que não cai no agrado de Lorna (Emma Dumont), que tenta convencer Andy (Percy Hynes White) a abandonar o Inner Circle pela última vez.

The Gifted 2x15

“Bom” e “mau” têm sido os níveis que The Gifted tem andado a circular nas semanas mais recentes, por vezes encontrando-se naquela linha ténue que separa as duas vertentes. Monsters é um desses casos, com a série a exibir claros exemplos de ambos os lados.

Em fuga das autoridades, Caitlin vê-se obrigada a tomar algumas ações drásticas para poder proteger Lauren de um destino fatal. Embora possamos compreender a lógica por detrás das suas ações, isso não significa que sejamos propriamente fãs de Caitlin Strucker neste momento. Considerando que a sua profissão implica que esta tente salvar o maior número de vidas possível (e acreditem, a série já nos mostrou Caitlin a salvá-las em piores condições que as exibidas neste episódio), torna-se bastante sórdido vermos esta enfermeira a sacrificar Morlocks inocentes para poder salvar-se a si mesma e à sua filha, algo que vai de encontro oposto com o que encontrámos e amámos de Caitlin no passado não muito distante. E a reação de Lauren diz precisamente o que precisamos de saber.

As cenas de Marcos e Reed também não foram exatamente as melhores que a série nos mostrou dos dois homens. Não que houvesse algum material de interesse para mostrar e analisar (o facto de os poderes de Reed terem tomado a vida de um Purifier poderá trazer algumas ramificações para o futuro), mas mais porque o episódio não os soube aproveitar da melhor forma possível. O grande culpado deste momento foi, sem sombra de dúvidas, John, cujas cenas simplesmente se resumiram a ficar sentado, a lamuriar-se pela perda da sua amada. Embora a sua dor possa ser perceptível (em mais do que uma ocasião), não deixa de ser um grande desperdício de um personagem que tem andado na corda-bamba recentemente.

The Gifted 2x15

Jace Turner (Coby Bell) acaba também ser um ponto de desilusão para Monsters. Os episódios mais recentes de The Gifted têm “namorado” a ideia do ex-agente dos Sentinel Services virar a casaca em prol da sua própria moralidade. E este episódio deu-nos outra fonte de combustível para essa nossa fé, agora que este agora é responsável pelo massacre de vários Morlocks, também eles com as suas famílias e filhos. Um papel que, certamente, não iria passar despercebido pelo homem, considerando as suas próprias experiências como um pai que perdeu uma filha por causa do conflito entre a raça humana e os mutantes. Portanto, torna-se uma pena (e, até um certo ponto, uma fonte de dores de cabeça) quando este torna a ser manipulado pelos Purifiers para servir as suas próprias intenções.

Felizmente, Lorna torna a ser o chamariz do episódio pelas melhores razões. Após semanas de um conflito interno que parecia não ter um final em vista, eis que a mutante toma uma atitude mais concreta, finalmente saindo das garras manipuladoras de Reeva. E esta também não esteve sozinha. Andy tem sido um poço de qualidades mistas: ora apresenta uma faceta que nos permitia simpatizar com o jovem Strucker, ora volta ao seu “eu” do habitual. Embora fique a ideia de que as suas cenas podiam ter sido melhoradas, este acaba por ser um duro reality check para o personagem, que reconhece as suas próprias ações hediondas por uma causa de interesse único.

Monsters está longe de ser o melhor que The Gifted já nos apresentou até agora, isso ninguém o tira. No entanto, não deixa de nos dar aquele doce hype para o episódio final da temporada, que tomará lugar na próxima. E como já se torna habitual, cá estaremos para opinar sobre isso.

Podem ler o nosso Frame By Frame anterior de The Gifted aqui.

0 59 100 1
59%
Average Rating

Embora longe de ser um dos melhores episódios da série, no seu todo, The Gifted acaba por preparar um verdadeira David vs. Golias para a semana que vem.

  • 59%

Comments