Arrow Frame by Frame TV

Arrow – 7×13 – Star City Slayer

PODE CONTER SPOILERS DE ARROW!!!

Não é um grande segredo que Arrow tem estado a ter problemas nesta segunda parte da sétima temporada. E de facto, e apesar de alguns bons momentos com a nova premissa de Oliver (Stephen Amell) a tornar-se num Green Arrow apoiado pela SCPD (inclusive um 150º episódio que acabou por ser bem melhor que o esperado), ficou a ideia de que esta nova fase iria regressar ao pior que a série já ofereceu até agora. Pois bem, o episódio desta semana resgata um dos elementos que marcou a primeira parte da temporada, e o resultado final acaba por ser desconcertante (no bom sentido!)

Com um regresso menos amistoso de William (Jack Moore), Oliver tenta fazer o seu melhor para tentar reparar esta relação, deixando o resto da equipa recém-admitida pela SCPD lidar com um novo serial killer. No entanto, esta mesma figura misteriosa não só possui uma fixação doentia pelos vários vigilantes presentes no episódio, como uma espécie de obsessão para com Oliver.

Arrow 7x13

Não é exatamente uma grande novidade vermos Arrow a atirar-nos para territórios mais negros. E a narrativa do episódio desta semana – que se resume na Team Arrow à caça de um serial killer – possui algum negrume para dar e vender. As cenas que decorrem dentro da casa abandonada nas Glades acaba por ser um dos melhores momentos do episódio em si. Seja pela grande ausência de iluminação ou o espaço claustrofóbico, este é um efeito que traz uma espécie de boost a uma série que, numa determinada fase, poderia muito bem sido apenas “mais um episódio de Arrow“.

Grande parte da ajuda vem pela forma do regresso de Stanley (Brendan Fletcher), o ex-companheiro de cela de Oliver aquando da sua sentença em Slabside. Quando essa narrativa encerrou, deixou-nos com um presente na forma da fuga de Stanley, deixando bem patente que esta mente perturbada poderia regressar numa fase mais futura. De facto, estava à espera que este vilão aparecesse já na reta final, daí de ter sido surpreendente ter visto esta cara pouco tempo depois do encerramento desta narrativa. E felizmente, a sua presença não desapontou, com a faceta lunática de Fletcher a trazer um novo nível de ameaça que muitos outros antagonistas secundários da série nunca conseguiram catapultar. Jamais esperaríamos que Stanley tivesse estofo para ser o vilão principal da temporada; mas como uma presença secundária, Brendan Fletcher será, certamente, um dos mais memoráveis.

Arrow 7x13

No entanto, Arrow também pode ser considerado como um “drama familiar”. E a presença de William preenche todos os pré-requisitos para quem for fã desta vertente de telenovela. Embora Amell Moore tenham aqui alguns momentos de renome (embora esteja longe de ser as melhores das duas gerações de atores), fica a ideia de que esta trajetória não podia ser mais previsível do que o que foi demonstrado aqui. O mesmo se aplica ao seu desfecho – que envolve a partida de William para viver em Central City com os seus avós maternos – que, apesar de emocional, não deixa de ser bastante previsível.

O episódio pode ter mostrado alguns momentos que, certamente, marcarão o resto dos membros da nova Team Arrow durante as próximas semanas (inclusive o estatuto de uma delas no que refere aos flashforwards), mas decerto que houveram muitos outros que não trouxeram o efeito desejado. Um deles foi a saída definitiva do ator Echo Kellum de Arrow. Aqui, o personagem ganha uma espécie de despedida digna. Ou pelo seria digna, se a série soubesse como aproveitar o personagem da melhor forma possível. O personagem começou de uma forma decente com a sua introdução na quarta temporada, mas decerto que perdeu parte do seu fulgor ao longo do desenrolar da série em geral. Portanto, a sua despedida aqui acaba por não ter exatamente aquele murro emocional que esperávamos.

Falando nos flashforwards, esta narrativa paralela também começa a perder uma boa parte do seu apelo inicial. A introdução de Blackstar (Katherine McNamara) e Connor (Joseph David-Jones) só serviram para demonstrar que esta visão mais negra do futuro está a introduzir uma grande parte de personagens que simplesmente não têm nada de novo para apresentar para o resto da série. E mesmo as “bombas” que esta narrativa apresenta deixam bastante a desejar (já para não falar previsíveis, se as vossas teorias estiverem corretas até agora).

Em suma, a narrativa principal do episódio desta semana de Arrow acaba por ser uma agradável surpresa com a sua atmosfera pesada e consequências a longo prazo. No entanto, as narrativas secundárias deixam, novamente, bastante a desejar, em mais do que um campo possível.

Podem ler o nosso Frame By Frame anterior de Arrow aqui.

0 74 100 1
74%
Average Rating

Apesar de alguns momentos menos trabalhados ou tratamentos desnecessários, este episódio de Arrow acabou por surpreender pela positiva graças à sua carga aterradora e algumas duras consequências a longo prazo.

  • 74%

Comments