Frame by Frame Star Trek: Discovery TV

Star Trek: Discovery – 2×04 – An Obol for Charon

Star Trek: Discovery 2x04

PODE CONTER SPOILERS DE STAR TREK: DISCOVERY!!!

Star Trek: Discovery pode ter demonstrado um leve deslize no episódio anterior, mas isso não significa propriamente que o resta da série caia no mesmo erro. A prova disso mesmo pode ser encontrada neste An Obol for Charon, um episódio que regressa à tonalidade que esta segunda temporada tem-nos demonstrado nos dois primeiros episódio.

No encalço de Spock, a tripulação da USS Discovery dá de caras com uma misteriosa esfera no meio do espaço, o que traz sérios problemas para a equipa tentar resolver antes que seja tarde demais. Ao mesmo tempo, Saru (Doug Jones) começa a sofrer sintomas de uma doença misteriosa, enquanto Tilly (Mary Wiseman) continua a prosseguir a investigar o ser misterioso que se alojou no seu corpo.

Star Trek: Discovery 2x04

Star Trek já nos habituou a inimigos fora do habitual, contando também com algumas resoluções fora do comum. É uma onda de novas descobertas que serviu de imagem de marca da série e que Star Trek: Discovery tem vindo a resgatar nesta segunda temporada. An Obol for Charon é um desses melhores exemplos, com a tripulação a lidar com um orbe que data mais de 100 000 anos que, além de provocar danos graves à nave científica, também avaria alguns dos seus sistemas mais essenciais (e vemos isso quando o tradutor universal fica danificado, com a tripulação a encontrarem-se numa verdadeira situação de Torre de Babel). No entanto, quando se pensava que esta seria apenas mais uma ameaça que seria resolvida pela mentalidade “atirar primeiro, fazer perguntas depois” (algo pela qual a primeira temporada ficou bastante conhecida), eis que a série nos atira para novo território, ao mostrar uma entidade que obedece mais às leis da mortalidade e do legado que queremos deixar para as gerações futuras.

O que serve de ligação indireta com o problema de saúde de Saru. Depressa descobrimos que esta doença está relacionada com a genética mortal da sua espécie, concedendo um destino ingrato: ou Saru sucumbe à morte pré-programada, ou arrisca-se a ser levado à loucura através da agonia que sofre. Doug Jones tem-nos impressionado em mais do que uma ocasião no curso da série, mas aqui, este apresenta um lado mais frágil que o habitual, com o Kelpian disposto a abraçar o mesmo destino que a sua espécie enfrenta numa base diária. E isto sem mencionar o facto de este ter olhado para trás na sua vida, revisitando a sua vida inicial como um refugiado da Federação até se tornar numa ponte para ajudar os mais necessitados. As suas cenas tornam-se ainda mais poderosas quando Michael Burnham (Sonequa Martin-Green) se junta ao momento. A relação entre os dois oficiais da Discovery pode ter começado da pior forma quando a série teve o seu início, mas as cenas por eles partilhados só mostra a evolução que têm testemunhado após tantas atribulações. É quase impossível sentir aquela pontada no coração só com a ideia de a série se despedir de Saru logo quando a temporada se encontra na sua fase embrionária.

Star Trek: Discovery 2x04

Entretanto, o problema do parasita de Tilly continuam a ser investido no episódio desta semana. Além de Tilly e Stamets (Anthony Rapp) para resolverem este assunto, a eles junta-se Jett Reno (Tig Notaro), que conhecemos no season premiere. Confesso-vos que fiquei agradado com a dinâmica apresentada. Enquanto Tilly e Stamets protagonizaram alguns momentos mais dramáticos – como Tilly a abrir-se sobre a sua juventude complicada ou os dois a recitarem Space Oddity de David Bowie – Stamets e Reno tiveram a maior fonte de humor, especialmente com os insultos trocados entre os dois (e acreditem, haviam alguns insultos que colocam a criatividade do uso de fita adesiva!). Apesar desta dinâmica interessante, o caso pendente não foi esquecido, que tomou proporções inimagináveis e que poderão colocar mais problemas para a tripulação lidar a longo prazo.

Mas isso não quer dizer que o episódio fosse perfeito. E infelizmente, An Obol for Charon sofre de um problema que tem sido uma constante desde o início desta temporada: Spock! Esta já é a quarta semana consecutiva em que a tripulação se encontra focada neste icónico personagem. E embora este aspeto tenha-nos dado motivos para sintonizar Star Trek: Discovery inicialmente, pode-se dizer que instigar tanto hype para voltar à estaca zero começa a tornar-se quase como num insulto para os fãs.

E este problema refletiu-se na introdução da Number One (Rebecca Romijn), que serve como a segunda-em-comando de Pike (Anson Mount) a bordo da USS Enterprise. Havia uma certa intriga sobre o que a modelo/atriz poderia trazer à personagem (especialmente considerando que está é mais conhecida por ter interprato Mystique na trilogia original de X-Men), e existe ainda potencial para ver o que Romijn poderá trazer caso a sua personagem regresse para mais episódios. Mas para já, a sua personagem limitou-se a oferecer um update a Pike sobre a situação cada vez pior de Spock. Esperemos que Star Trek: Discovery ofereça uma resolução mais concreta a esta questão brevemente, porque não sei quanto mais tempo conseguimos aguentar sem termos desenvolvimentos mais concretos relacionados com o personagem. E não, ouvir uma amostra da sua voz (algo feito no season premiere) não conta!

Podem ler o nosso Frame By Frame anterior de Star Trek: Discovery aqui.

0 80 100 1
80%
Average Rating

Apesar de voltar a bater na mesma tecla referente ao mistério em volta de Spock, pode-se dizer que Star Trek: Discovery conseguiu recuperar do deslize da semana passada.

  • 80%

Comments