Cinema Críticas

Critica The Girl in the Spider’s Web (2018)

Em outubro de 2018 lançou-se o que seria o quarto capítulo da saga Millennium, com mais uma empreitada da hacker Lisbeth Salander e do jornalista Mikael Blomkvist mas,  a excelente saga de livros que já teve ótimas adaptações para o cinema em 2009, aqui não teve uma obra a sua altura, aliás, não fosse pelos personagens não pareceria nem que se passa no mesmo universo visto que, o tom mais realista e cru da obra original dá lugar a uma ação cheia glamourização personagens rasos e uma antagonista desinteressante.

Nessa película Lisbeth é contratada por um expert em computação para roubar dos EUA um programa que esse mesmo criou, que dá acesso ao lançamento de misseis em bases no mundo todo, mas, nesse processo surge uma terceira parte interessada.

Além de todas as falhas já apontadas temos atuações que não fazem jus aos personagens da história, destacando a atriz Claire Foy (que deu vida a Lisbeth) que até tenta, mas não consegue sair do raso e superficial, também temos que lembrar de Sverrir Gudnason interpretando um   Mikael Blomkvist que mais parece um jovem iniciante do que um jornalista de longa carreira.

Outro detalhe que incomoda e que, apesar  de o filme se passar em sua maior parte na Europa, numa cidade onde o idioma primário não é o inglês,  esse mesmo  é o único falado o filme todo, bem como Hollywood costuma fazer.

Com um roteiro que mais parece de filmes de espionagem americanos como Mission Impossible, e não do thriller de mistério que deveria ser, e com um plot que surpreende a poucos, essa obra que tinha potencial por ser baseada em uma serie literária muito boa, acaba por decepcionar bem mais do que empolgar tendo como a única fonte de elogio a fotografia e a parte técnica.

 

Titulo Original:  The Girl in the Spider’s Web

Titulo: Millennium: A Garota na Teia de Aranha

Direção: Fede Alvarez

Elenco:   Claire FoyBeau GadsdonSverrir Gudnason

Duração: 

Comments