Frame by Frame TV Vikings

Vikings – 5×20 – Ragnarok

Contém Spoilers.

Shields Up!

Chegou ao fim mais uma temporada de Vikings. Bjorn Ironside, Hvitserk e King Harld marcham até Kattegat para por fim à tirania de Ivar. Um episódio clássico da saga nórdica de Michael Hirst.

Ragnarok centra-se, sobretudo, na cena de batalha muito acarinhada pelos fãs da série, mas não é só isso que dá um estilo emblemático ao último episódio da quinta temporada, colocando Vikings num patamar um pouco acima das expectativas que construímos ao longo desta temporada.

Não há dúvida que Ivar the Boneless trouxe uma personagem incomparável e altamente complexa nesta última temporada. Alex Hogh Andersen esteve muito bem no seu papel the “Mad King” (desculpem a referência a Game of Thrones), mas claro que nenhum de nós quer que Ivar tenha sucesso no seu reino e por isso, todos desenvolvemos um certo “ódio” amoroso a esta personagem. Na mitologia nórdica, a profecia de Ragnarok narra um acontecimento que descreve este episódio na perfeição, a narração do rei Olaf descreve perfeitamente o cenário de terror que se aproxima para os irmãos Lothbrok.

Vikings 5x20

A juntar à família Lothbrok está Magnus que procura um novo lugar, não apenas entre os irmãos, mas também na comunidade Viking. Apesar de continuar a invocar o Deus cristão no meio da batalha, Magnus apercebe-se que está sozinho e só encontrará respostas e glória com os Deuses opostos: Odin. O caminho para Valhalla foi rápido e bastou uma seta no coração deste novo jovem para acabar com o que foi uma jornada rápida no meio deste universo nórdico. Confesso que não foi uma grande personagem nesta nova temporada, mas que caminhou para tal com uma prestação razoável.

Além disso, quem se afirmou bastante foi Hvitserk que está de parabéns! Sempre vi a personagem de Marco Ilso bastante fraca, um lambe-botas do irmão, mas que no primeiro momento da batalha é o primeiro a subir aos muros com fúria e a trespassar o seu antigo lar. Mesmo que se torne evidente que os exércitos de Bjorn e Harald calcularam mal as suas defesas contra Ivar, Hvitserk continua a lutar até que não tenha escolha a não ser recuar. Curiosamente, na véspera da batalha, vemos Hvitserk atirar no chão a figura do Buda, sugerindo que talvez ele tenha feito sua escolha, tal como Ubbe (Jordan Patrick Smith) ao se aperceber que nunca deixou as suas crenças para trás.

Ainda assim, esta é a luta de Bjorn contra o seu irmão mais novo, que ele vê a contaminar a cidade que seus pais trabalharam tanto para nutrir. Desde o início, que está claro que Ivar tem a vantagem, e a decisão de Bjorn de empregar força bruta fracassa contra as preparações medidas e complexas de Ivar, que está à espera de seu inimigo: “you came too late!”.

Vikings 5x20

Bjorn, mais que ninguém, conhece os corações e as mentes das pessoas presas dentro das paredes de Kattegat. Sem dúvida que o discurso apaixonado de Bjorn para os homens de Ivar envia a mensagem alta e clara que uma vida melhor lhes espera se abandonarem a sua devoção cega a este louco.

Ragnar não precisava de exigir lealdade, ele ganhou, uma lição não perdida em Ivar. Quando Bjorn regress com o seu exército na manhã seguinte e chama Ivar, os ventos da mudança estão no ar. “Enough fighting. We are here to free you!”, diz ao povo de Kattegat.

Enquanto sua indiferença política e pessoal a Bjorn poderia ser vista como fraqueza, Harald (Peter Franzén), levanta-se para a ocasião e faz a coisa certa por respeito a um homem muito parecido com ele. Durante o segundo assalto, ele depara-se com uma escolha moral que poderia mudar para sempre o curso da história. Bjorn está em apuros, e quando a câmara se move de Bjorn para Harald e para Gunnhild, entendemos que este é o ponto de viragem na luta. Mais uma vez, o rei Harald vem ao auxílio de Bjorn, assegurando a coroa de Kattegat para o seu rival no amor e no poder.

Enquanto o combate é deixado para as escudeiras e soldados, um improvável candidato avança para derrubar a balança a favor de Bjorn. Freydis foi a companheira perfeita para o mercenário Ivar com os seus contos dos deuses e do filho divino. Se Ivar nutria alguma suspeita sobre a gravidez de sua esposa, não sabemos, mas agora, com a morte do filho, o casamento deteriora-se rapidamente. Não demora muito tempo para Ivar descobrir que Freydis o traiu, e a assustadora cena de confronto não é surpresa, dada sua reação àqueles que desafiam sua autoridade.

Libertar o povo de Kattegat e lembrá-lo de como é ser governado por alguém que é verdadeiramente o homem ou mulher do povo. Caminhando até o salão principal de Ivar, Bjorn e Hvitserk encontram o corpo de Freydis e imediatamente sabem o que ocorreu e o sacrifício que ela fez. É uma cena sombria que corre o risco de estragar a vitória difícil, mas Hirst salva o melhor para o último com a apresentação da bandeira de Olaf para Bjorn. O simbolismo é significativo, mas quando Ubbe e Torvi (Georgia Hirst) aparecem inesperadamente seguidos pela espada carregada por Lagertha (Katheryn Winnick), as nossas expectativas ficaram mais do que satisfeitas.

Um momento nostálgico, confesso. A rainha-mãe aparece forte novamente e pronta para viver a vida sob o governo de seu filho. (O papá deve estar orgulhoso)

Mas a cena toma um rumo rápido quando Bjorn segura a espada no ar, momentaneamente congelado no tempo, à medida que se percebe da imensa responsabilidade que agora carrega.

A sobrevivência de Ivar não surpreende e fornece uma história convincente para a próxima temporada. O olhar no rosto do rei deposto desmente um homem planeando a sua vingança. Não importa o custo. É claro que, por causa de sua deformidade, será difícil ficar fora do radar, como tentar reunir um novo grupo de seguidores dispostos a arriscar suas vidas para ajudá-lo a retomar o poder. É uma imagem apropriada para um homem cuja ascensão ao poder foi iniciada pelo desejo de vingar o assassinato da sua mãe. Agora, que completamos o ciclo e Lagertha encontra-se mais uma vez em Kattegat, o fogo de Ivar foi sem dúvida, muito mais alimentado.

Confesso que Vikings possa ter tido as suas falhas ao longo desta temporada, e não é dúvida de que a série tem vindo a baixar as expetativas dos fãs de Hirst, mas este final colmatou o cunho tão próprio de Vikings, de que nós já tínhamos tantas saudades.

Arrisco dizer… estás de Parabéns, Michael Hirst!

Podem ler o nosso Frame By Frame anterior de Vikings aqui.

0 70 100 1
70%
Average Rating
  • 70%

Comments