Frame by Frame Star Trek: Discovery TV

Star Trek: Discovery – 2×03 – Point of Light

PODE CONTER SPOILERS DE STAR TREK: DISCOVERY!!!

Não é exatamente uma novidade vermos uma série a oferecer um episódio que, contra todas as expectativas, não cumpre com os pré-requisitos já habituais. E Point of Light, infelizmente, acaba por ser uma desilusão numa segunda temporada de Star Trek: Discovery que, até agora, tem sido bem recebida.

Neste, voltamos ao planeta Qo’noS – o planeta natal dos Klingons – onde L’Rell (Mary Chieffo) e Ash (Shazad Latif) tentam manter-se no poder, mas nem tudo é amistoso neste planeta. Ao mesmo tempo, Burnham (Sonequa Martin-Green) recebe uma ajuda no mistério dos sete sinais e de Spock; o problema que Tilly (Mary Wiseman) tem em mãos começa a dar maiores dores de cabeça.

Star Trek: Discovery 2x03

Os Klingons sempre foram uma espécie de sinónimo com Star Trek. A temporada anterior de Star Trek: Discovery deu um maior foco nesta raça alienígena, se bem que com um design diferente ao que os fãs da saga já se habituaram. Felizmente, este episódio mostrou-nos a vontade dos seus produtores de aproximarem a série de elementos já familiares da saga, e isso torna-se mais notável nas claras diferenças nesta raça, que se aproxima cada vez mais das versões clássicas.

Infelizmente, o episódio não consegue ir mais além nesta visita. Tendo L’Rell – uma Klingon fêmea – como líder de uma nação que consiste mais em homens no poder podia ter sido uma analogia perfeita para o papel ainda frágil da mulher numa sociedade dominada pelos homens. Em vez disso, tivemos direito a doses exageradas de drama que ninguém tinha pedido. Tudo desde traições, segredos revelados, conflitos internos… Fica mais do que claro que este segmento de Star Trek: Discovery está mais ligada ao típico soap opera do que propriamente um drama político.

Star Trek: Discovery 2x03

Felizmente, este segmento acaba por ganhar mais pontos com a inclusão de Phillippa Georgiou (Michelle Yeoh). É sempre um deleite vermos Yeoh de volta com uma das personagens mais marcantes da temporada anterior de Star Trek: Discovery. No entanto, a sua presença acaba por tomar a forma de uma faca de dois gumes. Por um lado, a sua presença sem filtro acaba por ser um deleite para os fãs e não-fãs da série; por outro, fica a ideia de que as suas ações e atitudes acabam mais para servir como o backdoor pilot para o vindouro spin-off da série estrelado pela atriz. Apesar disso tudo, acaba por nos deixar com água na boca por mais aventuras de Georgiou e da Section 31.

Entretanto, dentro da USS Discovery, o subplot de Tilly acaba por tomar uma rota mais negra, com a “fantasma” de May (Bahia Watson) a tomar uma postura mais agressiva e, assim, desgastando a alferes. Mary Wiseman é uma boa fonte de bom humor para a série nos momentos certos, mas aqui, a atriz ganha a possibilidade de ir mais além com a sua performance mais obscura. Felizmente, o seu segmento acaba por dar algumas respostas concretas sobre o mistério de May e também de levantar o véu para mais mistérios para a série desvendar.

Infelizmente, é o segmento de Michael Burnham que acaba por sofrer com as maiores consequências. De uma forma bastante resumida, este seu segmento pessoal serve mais como um novo passo em frente para este mistério de Spock, dos sete sinais do espaço e o “Anjo Vermelho”. O facto de termos Amanda (Mia Kirshner) acaba por nos dar uma maior espreitadela para a vinda conturbada de Burnham no planeta Vulcano, mas este segmento termina nota nota bastante repentina e artificial que o habitual. Se bem que, valendo o que vale, simplesmente dá-nos aquele aumento de hype para a chegada inevitável de Spock.

Em suma, este episódio de Star Trek: Discovery acaba por ser uma desilusão que nenhum de nós pediu. Mas fica aquela fé de que este foi apenas um pequeno tropeço para a série, tropeço esse que pode ser recuperável no próximo episódio.

Podem ler o nosso Frame By Frame anterior de Star Trek: Discovery aqui.

0 68 100 1
68%
Average Rating

Apesar de alguns momentos melhor conseguidos, fica a ideia de que Star Trek: Discovery podia ter sido bem melhor do que o que testemunhámos.

  • 68%

Comments