Cinema Críticas

Crítica: Inglourious Basterds (2009)

Inglourious Basterds

Quentin Tarantino equivale a acção, sangue e puro entretenimento. Assim é com Inglourious Basterds, onde, numa França ocupada por Nazis durante a 2ª Guerra Mundial, um grupo de judeus americanos pretende eliminar os líderes Nazi, com um plano que coincide com a vingança de uma judia, dona de um cinema.

É raro haver quem nunca tenha ouvido falar de Tarantino, pois o seu trabalho moldou e influenciou o cinema; o realizador tem assim um modus operandi. Inglourious Basterds inicia com um diálogo de cerca de 20 minutos, entre a personagem de Christoph Waltz, o Coronel Hans Landa, e a personagem de Denis Ménochet, o camponês Perrier LaPadite. São 20 espectaculares e tensos minutos, onde cada palavra nos faz reféns do ecrã, que nos deixam conhecer bem quem é Hans Landa e do que é capaz. A escrita desta introdução é de mestre e dita o passo para o resto do filme.

Inglourious Basterds

Waltz é magnífico como Landa, o que lhe valeu um Óscar de Melhor Actor Coadjuvante. Tanto o esquadrão dos Basterds, como a personagem de Mélanie LaurentShoshanna, são personagens interessantes e muito bem escritas. Todo o elenco é sublime, com especial destaque de Brad Pitt e Eli Roth, que nos apresentam 2 “durões” com ocasionais momentos cómicos.

A nível técnico e visual, não há falhas que saltem muito à vista (claro que existem sempre os goofs que se podem ler no IMDB, para os mais interessados). Os efeitos especiais e todas as cenas que envolvem sangue estão à moda de Tarantino, e que excelentes cenas. A caracterização eleva a personalidade das personagens. Saliento a fantástica edição por parte de Sally Menkeum nome conhecido na obras de Tarantino. Inglourious Basterds foi a última destas obras em que Menke trabalhou antes de falecer.

Inglourious Basterds

Inglourious Basterds (obviamente!) não é historicamente correcto, e nem é esse o objectivo; é cheio de acção, com um plot louco e personagens icónicas. Temos a vingança e a justiça como temas principais desta obra, e, para além disto, há algo que torna Inglourious Basterds especial: o uso do alemão, francês e até italiano, em vez de ser o típico filme de Hollywood que usa e abusa do inglês.

O enredo é atraente, todas as cenas do filme são bem aproveitadas e nenhum momento é desperdiçado. Por vezes as personagens fazem escolhas não tão sábias e isso danifica um pouco o enredo, no entanto são pormenores mínimos. É uma aventura de início a fim, da qual não nos cansamos.

Sejam ou não fãs de Tarantino, dêem uma oportunidade a este clássico. É a receita perfeita de diversão, violência e boa escrita para um serão bem passado.

Título: Sacanas Sem Lei
Título Original: Inglourious Basterds
Realizado por:  Quentin Tarantino
Elenco:  Brad PittDiane KrugerEli Roth
Duração: 153 minutos

Trailer – Inglourious Basterds

Comments