Cinema Críticas

Crítica: Jagten (2012)

PODE CONTER SPOILERS DE JAGTEN!

Quando se trata de filmes, os cinemas americano, inglês, francês e italiano parecem ser os que recebem mais atenção e fama. São, sem dúvida, os que têm maior destaque. Isto leva a que os filmes oriundos de outros países por vezes não recebam a devida atenção. Por isso, hoje vou comentar um filme dinamarquês cuja qualidade lhe valeu uma nomeação para o Óscar na categoria de Melhor Filme Estrangeiro: Jagten.

Lucas é um homem divorciado que perdeu o seu emprego como professor e, portanto, agora trabalha num jardim de infância numa pequena comunidade dinamarquesa. Tem um número de amigos bastante razoável, parece gostar bastante do seu actual trabalho, consegue arranjar uma namorada que trabalha no mesmo local que ele e além disso ainda recebe a notícia de que o seu filho adolescente quer ir viver com ele, portanto a sua vida parece estar a correr sobre rodas. Mas toda a sua paz desaparece na altura em que uma menina do jardim de infância onde ele trabalha ganha um fraquinho por ele. Um dia, a menina (que se chama Klara) faz um presente para Lucas e inocentemente beija-o nos lábios. De seguida ele descobre o presente dela e diz-lhe delicadamente que não o devia ter beijado e que devia oferecer o presente a outro menino da sua idade. Klara reage mal e resolve dizer à directora que Lucas se expôs à sua frente, o que é mentira. Daí em diante, Lucas passou a ser totalmente repudiado e evitado pela sociedade, todos se viraram contra ele (com excepção do seu filho e do padrinho dele), todos o começaram a julgar e maltratar. Mas o que mais lhe custou foi mesmo ver que o seu melhor amigo (e pai da menina em questão) não acreditava na sua inocência.

O filme é bastante dramático e revoltante nesta parte, pois as injustiças das quais Lucas é alvo não conseguem deixar ninguém indiferente. Faz-nos reflectir acerca das consequências das mentiras, por muito pequenas que sejam: Quando fez a acusação, Klara não tinha a menor noção das proporções que tudo aquilo viria a tomar. Ao aperceber-se do que fez, admite que inventou tudo, mas nessa altura a situação já se encontra num ponto demasiado avançado.

A performance de Mads Mikkelsen como Lucas não podia ser mais credível. A certa altura, a sua personagem, tão pacífica e calma no início do filme, começa a enlouquecer, e o momento em que Lucas olha o seu ex-melhor amigo nos olhos durante a missa da Noite de Natal é onde se vê claramente a excelência do trabalho de Mikkelsen neste filme: aquele olhar tão vazio mas que ao mesmo tempo espelha tanta revolta, tristeza e desespero, o olhar de um homem desfeito.

Gosto imenso da maneira como o filme acaba. Sou apreciadora daquele tipo de filmes cujo significado não está explicitamente dito no filme, ali à vista desarmada, de filmes que fazem reflectir e o final de Jagten consegue deixar qualquer um a pensar. Eu estava a ver o filme e não estava a entender exactamente o porquê do seu título, além do facto de a caça ser um dos hobbies preferidos de Lucas, mas o final esclareceu a minha dúvida. No meu ponto de vista, o final é o momento em que Lucas se apercebe do que realmente se trata a caça: é uma actividade em que o caçador persegue e mata um ser inocente, o que é uma metáfora quase perfeita daquilo que lhe acontecera e daí o título do filme ser Jagten (Caça). Agora que sabe como é estar no lugar da vítima, Lucas apercebe-se que aquilo que sempre encarou como um hobbie é, na verdade, uma forma de crueldade e que, provavelmente, a coisa mais correcta e justa a fazer é mesmo deixar de caçar. Claro que isto é apenas uma interpretação muito subjectiva.

Jagten revolta o espectador, emociona-o, fá-lo pensar e isso significa que cumpriu o seu dever. Não recorre em momento algum a efeitos especiais, limita-se a contar a história de uma forma simples porque é assim que ela deve ser contada. Que Jagten sirva para nos recordar sempre que o bom cinema pode vir de qualquer canto do mundo.

Título Original: Jagten
Título:
The Hunt – A Caça
Realizado por: Thomas Vinterberg
Elenco: Mads Mikkelsen, Thomas Bo Larsen, Annika Wedderkopp, Lasse Fogelstrøm, Susse Wold, Anne Louise Hassing, Alexandra Rapaport, Lars Ranthe
Duração: 
115 minutos

Trailer | Jagten

Comments