Cinema Críticas

Crítica: Mary Queen of Scots (2018)

mary queen of scots (2018)

A convite da NOS, fui à antestreia do filme Maria Rainha da Escócia e confesso que entrei na sala de cinema um pouco às escuras. E não, não era por estar tudo apagado, mas sim porque sabia muito pouco ou quase nada sobre aquilo que ia ver. Para me convencer bastou saber que Saoirse Ronan e Margot Robbie estavam nos papéis principais.

Depois de brilharem nos Óscares no último ano, nada melhor do que ter as duas no mesmo filme, ainda por cima, com personagens antagónicas. Sem querer contar muito, vou apenas falar-vos um bocadinho da História real: Maria (Ronan) foi a Rainha da Escócia durante vários anos (algo entre 1545 e 1561) depois do seu pai falecer quando tinha apenas 6 anos de idade e ser ela a herdeira do trono. Ela achava que também era merecedora do lugar de suprema de Inglaterra, onde estava sentada a sua prima Isabel (Robbie). A inimizade delas começa aqui e a história do filme também.

mary queen of scots 2018

Depois de fazer uma breve pesquisa sobre os factos históricos, percebi que algumas das coisas que ocorrem no filme são dramatizadas, ou melhor, inventadas para puxar aquele melodrama barato e quase novelesco. Ainda que isso resulte como entretenimento e torne o filme mais dinâmico, acaba por trair o lado histórico e por isso, não podemos realmente acreditar em tudo que ali vemos.

Talvez este seja um dos maiores erros do filme. Mesmo para quem não perceba nada de História, facilmente se apercebe que existem ali coisas que não fazem muito sentido e podem não bater certo. Contudo, não é por causa disso que o filme deixa de resultar. Vamos acompanhando com entusiasmo aquela narrativa, que se apoia inicialmente na “guerra” entre as duas primas, mas que também acaba por deixar isso para um quase terceiro plano com o passar do tempo.

Ainda assim, são as protagonistas que sustentam o filme. Saoirse tem um lado delicado e ao mesmo tempo provocador que resulta na perfeição na personalidade de Maria, ou pelo menos, da forma como ela nos é apresentada; Margot é o centro das atenções, não só pela sua performance segura, como pela transformação física, quase irreconhecível, bem diferente de como estamos habituado a vê-la. Todo o elenco masculino também é extremamente competente, salientando Jack Lowden, que no papel de Henrique Stuart, rouba a cena muitas das vezes.

A produção é de ficar de queixo caído, seja pela fotografia que é estonteante ou pela estreia de Rourke na realização, que faz um trabalho extremamente competente e preciso. O ponto forte é, porém, a banda sonora. O som do filme é realmente digno de ser apreciado e é quase de arrepiar na maioria das cenas. Talvez por isso aconselho que vejam este filme numa sala de cinema, porque a experiência será muito mais forte.

mary queen of scots 2018

Há claramente uma vibe feminista ao longo das cerca de duas horas de longa-metragem, principalmente porque se aproveitam do facto de que naquele tempo “mulher não servir para estar no poder”, para nos dar lições de women power. Seja por algumas linhas do guião, seja pela forte presença das duas mulheres centrais, Maria Rainha da Escócia consegue tocar com o dedo nesta ferida, mesmo que em algumas das vezes não consiga atingir a profundidade que esse próprio tema pede.

SPOILER:

Segundo os factos que conseguimos encontrar na Internet, nunca existiu um encontro olhos nos olhos entre as duas, mas o certo é que essa cena entre Maria e Isabel é a melhor cena do filme. A primeira está presa mas esbelta, a segunda no poder mas destruída pela doença. As performances são arrepiantes e tanto a realização como o argumento estão no ponto.

Um conselho: depois de verem o filme, façam ainda o exercício de pesquisar mais coisas sobre estas personagens. Confesso que houveram situações que fico triste por não terem sido exploradas!

Um elenco cheio de força, uma produção capaz de nos manter com os olhos a brilhar de entusiasmo e uma banda sonora acertada, Maria Rainha da Escócia tinha tudo para ser inesquecível mas acaba por não conseguir tudo o que pretendia da história que quer contar. Colocam tanta coisa para nos atrair, mas isso acaba por dar em tão pouco.

Nome: Maria Rainha dos Escoceses 
Título Original: Mary Queen of Scots
Realização:
Josie Rourke
Elenco: Saoirse Ronan, Margot RobbieJoe Alwyn, Guy Pearce,
Jack Lowden
Duração:
124 min.

TRAILER | MARY QUEEN OF SCOTS

Comments