Cinema Críticas

Crítica: Ralph Breaks the Internet (2018)

Ralph Breaks the Internet ocorre seis anos depois dos eventos do primeiro filme. O volante do jogo Sugar Rush partiu, e por isso Ralph e Vanellope recorrem à internet através do recém-instalado Wi-Fi. Nesta jornada para recuperar a peça capaz de salvar o doce jogo de corridas, terão imensas aventuras rodeados por personagens e elementos da internet bem conhecidos pelo público.

Já o primeiro Wreck-It Ralph fez um óptimo trabalho em adaptar e ilustrar os jogos de arcade para a animação. Aí a ideia era recordar aos graúdos e dar a conhecer aos mais pequenos o funcionamento destes jogos mais antigos. Mas nesta sequela sobem o nível, e pegam num tema mais familiar da atualidade, a internet. E que desafio! Representar de forma convincente e divertida, mas que também demonstre a realidade do funcionamento destes “mundos” virtuais não é tarefa fácil. E cair no erro de dar mais importância a publicidade de marcas do que em conquistar a atenção do espectador numa boa história é ainda menos. Lembram-se de The Emoji Movie!?

Ralph Breaks the Internet

E este filme, ao qual muitos já se referem como o maior desafio de animação até a data para a Disney Animation, não se cingiu à internet. Aproveitou também a deixa para incluir inúmeras personagens que pertencem ao império Disney. As princesas, Star Wars, Marvel e outros. Todos marcaram presença como era prometido nos trailers. Mas eram estes trailers que suscitavam preocupações. Ralph Breaks the Internet parecia mais uma montra de exibição de todo este império do que a continuação da história das personagens Ralph e Vanellope. Davam a ideia que o enredo seria pobre e que todo este desfile de celebridades iria abafar essa vulnerabilidade.

Mas é precisamente nesse ponto que a Disney, mais uma vez, triunfa. Estas personagens não estão no filme só para aparecer. Quer dizer, algumas aparecem só porque era sabido que o público gostaria de lá as ver! Mas grande parte delas faz parte da história e tem um papel importante a desempenhar. Em particular as tão aguardadas princesas. É espectacular ver cada uma a ter a sua intervenção sendo fiel às características que já conhecemos em cada uma delas. Depois disto parece ser viável um filme com todas estas personagens, Avengers style.

Ralph Breaks the Internet

O cerne da questão também nunca é abafado. A amizade entre os dois protagonistas é sempre o centro da ação e as utilidades da internet são exploradas e exibidas sempre em prol desta. Isto auxiliado por bastante humor! Este é adequado e inteligente, aproveitando para fazer uso de várias referências de experiências e sítios da internet. Brincar com algo bem conhecido de forma bem conseguida é um dos pontos mais fortes deste filme.

E no meio de tudo isto, Ralph Breaks the Internet ainda é capaz de transmitir um ensinamento de vida, à boa e antiga moda Disney. Lembram-se de quando o principal dos filmes de animação era “a moral da história”? Nessa vertente, este filme tão dentro do moderno, conseguiu captar a clássica forma de transmitir uma lição importante através da diversão e entretenimento. Algo em que já se tem notado o esforço da marca em voltar às raízes em apostas recentes como Zootopia e Coco.

Ralph Breaks the Internet

Conclusão, Ralph Breaks the Internet consegue explorar o mundo da internet, fazer publicidade a várias marcas e ao império Disney sem ofuscar a história que quer contar. É uma grande aposta do estúdio, que corre riscos ao misturar imensas vertentes, mas que no final faz de todas elas pontos positivos que dão ainda mais valor ao filme.

Título: Ralph vs Internet

Título Original: Ralph Breaks the Internet

Realização: Phil Johnston, Rich Moore

Elenco: John C. Reilly, Sarah Silverman, Gal Gadot, Taraji P. Henson, Jack McBrayer,
Jane Lynch

Duração: 102 minutos

Trailer | Ralph Breaks the Internet

Comments