Frame by Frame Supergirl TV

Supergirl – 4×05 – Parasite Lost

Supergirl 4x05

CONTÉM SPOILERS!!!

É um bocado estranho termos um episódio de Supergirl sem a heroína titular. Por vezes, parece que estamos perante um episódio de classe filler; por outro lado, a série consegue explorar outras áreas raramente abordadas quando temos uma “deusa” de capa vermelha a sobrevoar.

Com Parasite de volta e a possuir o agente Jensen (Anthony Konechny), Kara (Melissa Benoist) pendura a capa por agora, mas continua a lutar pela justiça através dos seus dotes jornalísticos; Alex (Chyler Leigh) tenta orientar a DEO, desta vez sob a vigilância da Coronel Haley (April Parker Jones); James (Mehcad Brooks) tenta lidar com a sua nova “fama”; e J’onn (David Harewood) faz uma investigação.

Supergirl 4x05

Uma das críticas mais duras que se pode fazer à Arrowverse, num toque geral, é que se foca mais nos feitos heróicos do que propriamente nas pessoas que utilizam os fatos e máscaras. Supergirl não é uma exceção a essa regra; no entanto, de vez em quando, há episódios que conseguem focar-se nos feitos e dilemas jornalísticos de Kara Danvers. E este episódio não é exceção, uma vez que voltam a abordar os problemas da personagem, agora com uma nova posição social impossível de negar.

Este episódio também serviu de estreia de April Parker Jones como a supervisionadora de Alex na DEO. Não desgostei desta nova inclusão na série, muito por introduzir uma nova dinâmica para Alex lidar durante a temporada adentro. No entanto, e se o episódio nos fez pensar que esta seria uma dinâmica agradável, onde duas mulheres em posições de poder mostram o seu respeito uma para outra, os momentos finais certamente pintaram um quadro diferente. Fica a curiosidade sobre o que reserva daqui para a frente, mas é caso para dizer que se podem esperar inúmeras cabeçadas.

Supergirl 4x05

Este episódio também trouxe ligeiras melhorias para J’onn J’onnz. Após uma boa porção desta parte sem fazer algo de grande impacto, colocá-lo numa investigação serve de lufada de ar fresco para um personagem que, sejamos sinceros, pouco ou nada de relevante ofereceu até agora. E o próprio caso não foi fácil de resolver, mesmo com a ajuda de Kara neste segmento. E o facto de este interligar-se no caso do agente Jensen também não trouxe o impacto desejado. O que poderia ser um caso emocional acabou por ser mais uma peça de dominó.

E tenho as minhas queixas a apontar a Nia (Nicole Maines). Não falo da parte em que ainda se está à espera do momento em que se veste de Dreamer, a primeira super-heroína trans-género da série; falo, sim, do pouco ou nulo impacto que esta nova personagem introduz à temporada. Apesar de servir quase como uma outsider no meio de veteranos da série (e também esta pode vir a causar mais impacto daqui para a frente), nada me tira da cabeça que a sua presença é praticamente supérflua, estando apenas lá para preencher espaço.

Supergirl 4x05

E depois temos o caso de James Olsen. A sua decisão de usar este novo tipo de imprensa a seu favor – especialmente no que se toca ao contacto mais acentuado com Ben Lockwood (Sam Witwer) pode vir a trazer maravilhas durante o resto dos episódios, com James a colocar-se ainda mais na cova do lobo e sem muitas garantias de sair da experiência ileso. O problema reside em Lena (Katie McGrath), que parece estar a regredir para aquela “namorada” demasiado otimista ou ingénua. Não tem nada a haver com a Luthor que aprendemos a gostar desde a sua introdução. A ver vamos como esta nova situação irá afetar os “pombinhos”; para já, o panorama não se avizinha assim tão risonho.

Podem ler o nosso Frame By Frame anterior de Supergirl aqui.

0 62 100 1
62%
Average Rating

Este episódio possui alguns momentos - e uma cara nova - mas nem isso consegue ocultar as falhas de Supergirl.

  • 62%

Comments