Mayans M.C. TV

Mayans M.C. – 1×09 – Serpiente/Chikchan

Mayans M.C. – 1×09

O season finale de Mayans M.C. aproxima-se, e seria de esperar que os episódios ficassem cada vez mais intensos e a tensão continuasse a aumentar. Não se pode dizer isso do episódio desta semana, Serpiente/Chikchan, que acaba por ser o episódio mais longo da série, mas também o mais aborrecido.

Mayans M.C. continua a seguir a fórmula de colocar o enredo de Galindo em primeiro plano, esquecendo completamente a sua essência. O M.C. é novamente passado para segundo plano, e os únicos vislumbres que temos de algum dos membros é de EZ e Angel. Com o tema da serpente, é de esperar que a traição e as mentiras comecem a fluir pelo enredo, mas isto acontece de uma forma bastante leve. O desvendar de segredos coloca a confiança dos irmãos Reyes em risco, e compromete a família.

Mayans M.C. – 1×09
EZ, Angel e Lincoln

Clayton Cardenas, que interpreta Angel, teve uma prestação muito melhor do que nos episódios anteriores. Nota-se que o ator necessita de tempo de antena e de cenas com peso dramático para poder brilhar (apesar da sua performance não ser excelente). JD Pardo continua a esforçar-se para carregar o enredo pessoal de EZ numa série que coloca o protagonista totalmente fora de cena. Kurt Sutter está tão preocupado em vender o cartel de Galindo ao público que deixa de parte o M.C. e coloca EZ, forçosamente, como o único meio de ligação entre os dois.

Galindo, interpretado por Danny Pino, vê-se confrontado com uma decisão difícil de tomar, que envolverá quebrar alianças promissoras. O enredo do cartel domina novamente o episódio, não pela sua execução ou por ser maravilhoso, mas sim pela extensão que toma no episódio de 70 minutos, e em toda a série até agora. O tema da serpente assenta perfeitamente no episódio, tanto no enredo pessoal de EZ como no de Galindo, mas não é isso que torna o episódio melhor. Danny Pino dá o seu ar charmoso como chefe do cartel ao longo da série, mas nunca consegue passar a imagem intimidadora que deveria. Juntamente com Sarah Bolger, que interpreta Emily, o casal é apenas uma façada bonita e bem parecida com o intuito de esconder personagens mal escritos e sem conteúdo. Apesar dos atores tentarem o seu melhor, o verdadeiro problema de Mayans M.C. está na cadeira produção e realização, assim como nos argumentistas da série.

Mayans M.C. – 1×09
Emily e Galindo

E é por isso que Mayans M.C. perde constantemente pontos para o seu predecessor Sons of Anarchy, que apostou no M.C. e nos personagens do mesmo. O que guiava SoA não eram enredos complexos, mas sim os personagens bem construídos que foram dados a conhecer ao público, e a adrenalina implacável com que o M.C. seguia o seu dia-a-dia. Mayans M.C. continua a apostar em Galindo e nas suas guerras, e esquece-se do fundamental da série: o grupo de motoqueiros. O espectador tem a sensação de que não conhece nenhum dos membros do M.C. para além de EZ, Angel e Coco, dos quais um nem sequer tem tempo de antena suficiente em Serpiente/Chikchan.

Com os enredos cada vez mais embaraçados, Mayans M.C. entra em conflito consigo mesmo e baixa a qualidade, episódio a episódio. Serpiente/Chikchan não demonstra qualquer tipo de preocupação pelos personagens ou pela construção de carácter dos mesmos, ao mesmo tempo que tenta vender plot twists que acabam por ser privados de qualquer emoção ou reação do espectador, devido à má construção da temporada.

O elenco de Mayans M.C. não se consegue destacar quando os episódios são guiados pelo enredo. É necessário primeiro criar empatia com os personagens, e só depois apostar nos pontos de viragem que poderão acontecer na série. Já vimos atores como JD PardoCarla BarattaRichard Cabral e Edward James Olmos com prestações incríveis, mas todos eles em episódios cujo propósito é a construção e evolução de personagens.

Mayns M.C. rejeita novamente a camada dramática que deveria atribuir à série, assim como a ação necessária para que um episódio de 70 minutos não se torne uma tortura para o espectador. Serpiente/Chikchan é um dos piores episódios de Mayans M.C. não só pela má execução, mas também pela construção que a série levou até este ponto. Em 8 episódios de cerca de 50 minutos cada, Mayans M.C. não conseguiu aperfeiçoar os seus personagens e, consequentemente, o seu enredo. O season finale é já na próxima semana, e Mayans M.C. necessita de elevar o seu jogo para conseguir, pelo menos, um bom final de temporada.

Podem ler o Frame By Frame anterior de Mayans M.C. aqui!

0 40 100 1

40%
Average Rating

Mayans M.C. baixa cada vez mais a sua qualidade. Kurt Sutter esqueceu a essência da série, e em Serpiente/Chikchan as consequências são notórias. Apesar de Clayton Cardenas e JD Pardo se esforçarem para segurar o episódio, o holofote é novamente atribuido a Danny Pino e ao entediante enredo do cartel.

  • 40%

Comments