Cinema Críticas

Crítica: The Descent (2005)

Muitas vezes, uma grande comoção é formada em torno de um filme de terror, um daqueles géneros frequentemente desvalorizados por filmes medíocres. Mas quando funciona, realmente acontece. The Descent é precedido por uma maravilhosa recepção da crítica e do público no seu país de origem, a Inglaterra, pelas mãos de um diretor que já surpreendeu alguns com o seu primeiro filme, Dog Soldiers. As expectativas, portanto, eram altas.

A premissa é muito simples. Um ano após a morte traumática da sua família num acidente, Sarah (Shauna Macdonald), uma mulher apaixonada por desportos de aventura, volta a encontrar-se com os seus amigos para percorrer uma rota espeleológica e, assim, superar um ano de negligência e voltar ao normal. Mas a rota (oh, surpresa!) acaba por ser o lar de uma estranha espécie de predador que evoluiu desde a pré-história naquele ambiente sem luz.

De certo modo, o filme torna-se numa espécie de versão underground de filmes como Alien. Isto é, um grupo de pessoas num ambiente desconhecido que confrontam criaturas hostis.

O filme, após a introdução da história da protagonista, tem uma excelente primeira parte. O grupo de amigas, depois de passar a noite, entram na rota, uma viagem não só de aventura, mas também de reconciliação, ambição e superação. Tem sido um longo tempo desde que fiquei angustiada como nesta parte. A sensação de claustrofobia que o filme transmite é absoluta, e somente usando as protagonistas a avançar através de diferentes galerias para cada uma mais distorcida e estreita.

A segunda metade, sem ser muito má, é onde o filme cai. Os primeiros encontros com esses seres são certamente eficazes e contundentes. Mas o filme concentra-se demasiado, gradualmente, na quantidade e não tanto na qualidade, enquanto aumenta a crueza dos protagonistas numa série de situações mais ou menos justificadas, mas que poderiam ter sido usadas em outros cursos menos acidentados. Mas, como eu digo, pelo menos há justificativa para isso, algo que muitas vezes é esquecido nos filmes.

Em geral, o balanço final é muito bom, mas ficamos com a sensação de ter visto um filme que poderia ter sido muito mais vigoroso se o tom tivesse sido mantido. Uma certa decepção que é reforçada pelo falso final enganoso que deveria ter sido mesmo o final do filme, dois minutos de filmagem desnecessários, sendo outro exemplo daquela moda dos golpes finais baratos.

Mesmo assim é um filme muito estimulante e que, apenas para a primeira parte e as primeiras aparições dos seres predadores, merece ser visto. Além disso, tanto as atrizes quanto a direção são ótimas (outra coisa é como elas evoluem por causa do roteiro).

Um ótimo exemplo do que pode ser feito com ingredientes simples se forem bem usados.

Já que estamos numa onda de Halloween, leiam também as nossas críticas de Scream e The Thing.

Título original: The Descent

Título: A Descida

Realizado por: Neil Marshall

Elenco: Shauna Macdonald, Natalie Mendoza, Alex Reid

Duração: 99 min.

Trailer | The Descent

Comments