Cinema Críticas

Crítica: Private Life (2018)

Em Private Life, os dilemas morais e as contradições íntimas de um casamento durante o longo processo de fertilização ou adoção assistida estão no centro desta tragicomédia, que é o retorno esperado da diretora de Slums of Beverly Hills (1998) e The Savages (2007).

Com apenas três longas metragens em 20 anos, Tamara Jenkins é um dos segredos mais bem guardados do cinema americano independente. Agora, de mãos dadas com a Netflix, chega Private Life, com um roteiro próprio que narra as vicissitudes (leia-se angústia existencial e económica) que os casais que não podem ter filhos passam de uma forma natural.

Rachel (Kathryn Hahn) e Richard (Paul Giamatti) são dois intelectuais de quarenta e poucos anos do New York East Village, cujo casamento bastante harmonioso entra numa crise cada vez mais profunda em face da obsessão de criar filhos.

A passagem do tempo, a infertilidade, as propostas para experimentar vários tratamentos médicos (muito caros e com profissionais que se aproveitam do desespero dos pacientes), contradições e inevitáveis decepções são descritas com profundidade, inteligência, sensibilidade e sem demagogia.

Tamara Jenkins que, sem perder de vista o seu olhar humanista, é ímpia quando se trata de descrever o sistema de saúde (privado, é claro) e as feridas crescentes sofridas por aqueles que por lá vagueiam.

O que faz de Private Life um filme muito bom é, acima de tudo, a categoria do elenco e a capacidade de Tamara Jenkins de dar corpo a cada uma das personagens secundárias (de John Carroll Lynch a Denis O’Hare, passando por Emily Robinson e Molly Shannon).

Central para o desenvolvimento do filme está uma terceira personagem, Sadie (Kayli Carter), uma desencantada de 25 anos que se torna tão obcecada quanto o casal em doar um óvulo para que Rachel e Richard possam realizar o seu sonho de se tornarem pais.

O filme descreve, sem adoçar, a odisseia de tantas horas em salas de espera, encontros com médicos oportunistas e manipuladores, maratonas de picadas e pílulas, desentendimentos com amigos e familiares.

O filme é tão completo e comovente que, às vezes, se torna desconfortável. Mas nunca perde a dimensão humana e acrescenta alguns toques de humor que o tornam uma exploração repleta de empatia pelos sacrifícios dos quais um casal é capaz de passar para serem pai e mãe.

Título original: Private Life

Título: Vida Privada

Realizado por: Tamara Jenkins

Elenco: Kathryn HahnPaul GiamattiKayli Carter

Duração: 123 min.

Trailer | Private Life

Comments