Cinema Críticas

Crítica: Hotel Artemis (2018)

Drew Pearce não é um nome exatamente conhecido no seio de Hollywood. Muito por o seu trabalho mais conhecido, até à data, foi como guionista de Iron Man 3 (e sabemos o quão controverso esse filme foi). Pois bem, apesar de tudo, Pearce ainda não desistiu de se envolver em novas aventuras. E desta fez, o guionista estreia-se como realizador com este Hotel Artemis. Mas será que conseguiu impressionar, ou, tal como Iron Man 3, estará envolvido em controvérsia?

Estamos em 2028. Neste futuro não-muito-próximo, os Estados Unidos estão numa onda constante de conflitos. E nenhuma cidade apresenta um maior nível de caos do que Los Angeles, que se encontra envolta numa onda de protestos pela falta de acesso a água potável. Estes protestos são uma mina de ouro para os vários criminosos da cidade. Mas, quando as coisas correm mal, encontram uma espécie de “paraíso” na forma do Hotel Artemis, que funciona como uma espécie de “hospital” especializado em tratar dos vários criminosos de forma privada e com uma lista de regras a seguir. De mencionar que este “hotel” é gerido pela Enfermeira (Jodie Foster) e pelo seu assistente, Everest (Dave Bautista).

Hotel Artemis Crítica de Cinema

Ao ver este filme do princípio até aos seus minutos finais, tive um pequeno déjà vu de John Wick. Isto porquê? Nesse filme, fomos apresentados ao Continental, um hotel que oferece uma espécie de descanso para os vários assassinos de todo o mundo, também com a sua lista de regras a cumprir. É bom ver que Hotel Artemis tenta construir o seu novo mundo what if de uma forma original, mas infelizmente, ao beber inspiração de filmes de qualidade superior, retira-lhe pontos no que se toca à originalidade. Ainda que o guião de Pearce consiga construir um mundo curioso que pode muito bem ser expandido em filmes futuros, fá-lo à custa dos vários intervenientes, que parecem servir apenas de “recheio” do filme. Eles tomam as ações que tomam só porque sim, no fim e ao cabo.

Dito isto, e considerando que os personagens não podiam ser mais unidimensionais, torna-se impressionante como é que Pearce conseguiu angariar um elenco de luxo. Por exemplo, Sterling K. Brown traz o seu carisma para o seu ladrão charmoso; Dave Bautista consegue mostrar um Everest que acredita piamente na sua missão para com o Hotel, apesar de o tipo de pessoa que “mete a ordem na casa”; temos atores como Sofia Boutella ou Charlie Day que, apesar de não acrescentarem nada assim de novo, encontram-se de corpo e alma nos seus respetivos personagens.

Hotel Artemis Crítica de Cinema

Mas a grande questão pairava em Jodie Foster. Passaram quase 10 anos desde que Foster protagonizou um filme. E apesar de já estar a caminhar para os seus 60 anos, a atriz continua a mostrar uma certa energia inegável. Claro que ajuda quando a sua Enfermeira é a única personagem a exibir uma história antes dos eventos do filme, mas não é apenas pela sua história ou troca de diálogos, mas também pelas suas respostas corporais.

Hotel Artemis está longe de ser um dos melhores filmes de sempre, muito por causa das claras falhas das suas personagens ou da troca de diálogos forçada. No entanto, existe uma sensação de “divertimento” que Drew Pearce consegue vender neste seu filme de estreia na realização, já para não falar que conta com um vasto leque de atores bem conhecidos e liderados por uma Jodie Foster que ainda não perdeu o seu jeito como atriz. Não é perfeito, mas serve para passarmos um serão em família.

Título Original: Hotel Artemis
Título: Artemis – Hotel de Bandidos
Realização: Drew Pearce
Elenco: Jodie FosterSterling K. BrownSofia BoutellaJeff GoldblumBrian Tyree HenryJenny SlateZachary QuintoCharlie DayDave Bautista
Duração: 
94 minutos

Trailer | Hotel Artemis

Comments