Cinema Críticas

Crítica: São Jorge (2016)

São Jorge

São Jorge é uma obra de ficção com laivos de documentário. A Terceira longa-metragem de Marco Martins (Alice (2005) e de Como Desenhar Um Círculo Perfeito (2009)) é um filme dramático que retrata os anos de intervenção da troika em Portugal.
O filme foi rodado em dois dos locais onde os efeitos da troika mais se terão notado. Mais precisamente nos bairros da Bela Vista (Setúbal) e Jamaica (Seixal).

Sinopse de São Jorge.

Jorge (Nuno Lopes) é um pugilista desempregado que tenta garantir o sustento de Susana (Mariana Nunes) e Nelson (David Semedo). Ela, emigrante brasileira, decide fugir da crise financeira em Portugal e regressar ao seu país. Jorge fica sem saber o que fazer para manter o filho por perto. Como último recurso, aceita um trabalho numa empresa de cobrança de dívidas. Usando o seu corpo treinado para a luta corpo a corpo para cobrar dívidas. Passa a intimidar pessoas que, tal como ele, se encontram numa situação desesperada. De um momento para o outro, vê-se a atravessar a fronteira da moralidade e a entrar num mundo de criminalidade. Situação gerada pela pobreza e pela falta de alternativas daqueles que estão numa situação em nada diferente da sua.

Análise de São Jorge

Com um argumento sólido e uma temática pertinente para o contexto social português, São Jorge tem a originalidade de abordar a questão da passagem da troika por Portugal de um ponto de vista relativamente inédito. Muitas foram as reportagens feitas pela TV sobre o tema, mas a verdade é que nenhuma terá retratado o tema de uma forma tão crua e apelativa.

O realizador Marco Martins complementa o seu elenco com pessoas reais que habitam os bairros já mencionados, conferindo ao filme um realismo praticamente documental. À cabeça deste elenco está Nuno Lopes. Como é já hábito, o actor tem uma performance de tal forma distinta, que lhe rendeu o Prémio Orizzonti para Melhor Actor no festival de Veneza. Além da representação, é de assinalar a transformação física do actor para este papel.

Em termos estéticos, o filme deslumbra. O uso frequente de grandes planos causam uma sensação claustrofóbica, mas ao mesmo tempo aumentam a carga dramática que é chave para este filme. Além disso, estes enquadramentos são quase sempre bem feitos e providos de significado. Sem descurar, claro, a importância que para eles têm não só enquadramento mas as escolhas de luz e cor. Em termos de gosto pessoal, diria que este filme tem dos planos mais bonitos que já vi no cinema português.

Como nota negativa destacaria o ritmo do filme que é demasiado baixo, tornando-o fastidioso e difícil de digerir para o grande público. Os diálogos são simples e às vezes escassos. O olho menos treinado e os cinéfilos menos eruditos podem não conseguir apreciar todo o potencial deste filme precisamente por isto. Os restantes, um produto de qualidade rara no cinema nacional. A qualidade dos nossos filmes tem sido decente, mas São Jorge é a melhor obra cinematográfica dos últimos anos por larga margem.

São Jorge

Título Original: São Jorge.

Título: São Jorge.

Realizado por: Marco Martins.

ElencoNuno LopesMariana NunesDavid SemedoJosé RaposoJean-Pierre MartinsGonçalo WaddingtonAdriano LuzBeatriz Batarda.

Duração: 112 min.

Trailer | São Jorge

Comments