Frame by Frame Mayans M.C. TV

Mayans M.C. – 1×04 – Murciélago/Zotz

Mayans M.C.

CONTÉM SPOILERS!!!

Após um terceiro episódio que foi light em ação em detrimento de um enredo mais “pessoal”, eis que, ao quarto episódios, Mayans M.C. consegue conjugar a ação sem filtros e o chamado character development.

Neste episódio, um jovem mexicano é abatido ao tentar passar a fronteira entre os Estados Unidos e o México. No entanto, o facto de este trazer drogas consigo traz sérios problemas, especialmente para os Mayans, que tentam solucionar o mistério e descobrir quem quer fazer frente ao cartel de Galindo (Danny Pino).

Infelizmente, a trama principal do episódio deita tudo a perder numa vista geral. O facto de ter sido um mexicano a ser abatido ao cruzar a fronteira, independentemente do McGuffin que trazia consigo, poderia ter dado origem a um comentário social referente ao tratamento que o povo latino sofre às mãos da violência americana por causa de questões de xenofobia. Em vez disso, esta questão foi deixada completamente de lado em favor de uma força de antagonistas que não podiam ser mais estereotipados. O facto de um dos membros dos Mayans ter reconhecido os antagonistas como rednecks (ou, noutra palavras, saloios) já diz tudo o que precisamos de saber sobre eles.

O que sai a ganhar neste episódio foi, de acordo com o descrito acima, o character development. Quando se tem um vasto elenco de personagens, existem fortes possibilidades de nem todas as personagens receberem o mesmo destaque merecido. Por exemplo, Coco (Richard Cabral) volta a ter o seu destaque neste episódio, apanhando as “migalhas” deixadas há dois episódios atrás. O que daqui resulta é um subplot que, apesar de ser um tanto ou quanto familiar, consegue mostrar um novo lado deste personagem. Um que, certamente, teremos direito a examinar mais a fundo em episódios futuros.

Por outro lado, também temos um foco em Kevin Jimenez (Maurice Compte), o handler de EZ (JD Pardo). Apesar de não sabermos sobre este agente da lei (apesar de ter deixado algumas dicas pelo meio que nos faz coçar a cabeça), parece que existe uma espécie de ligação mais profunda entre este e a família Reyes. Pelo menos, a julgar pela sua última cena do episódio, o que implica a existência de um lado mais pessoal nesta história repleta de twists e traições.

Falando nos Reyes… Edward James Olmos tem-se revelado como o MVP de Mayans M.C. apesar de ainda não ter feito muito até agora. Até à data, julgávamos conhecer o que precisávamos saber sobre Felipe: um pai viúvo que se vê sem saída no que se toca a ajudar os seus filhos. No entanto, este episódio consegue colocar-nos a questão sobre a verdade do patriarca, e a reação calma de Felipe consegue dizer muita coisa, sem proferir muita coisa.

Também durante o episódio, Emily (Sarah Bolger) tentar dar a volta ao jogo, de modo a reaver o seu filho raptado. Isto parece ser um passo em frente natural para Bolger que, até agora, não tem feito muito para além de ser uma mãe amargurada sem saber o que fazer. Felizmente, este episódio dá-lhe algo mais importante para fazer, apesar do aviso de que esta poderá perder-se assim que começa a embrenhar-se cada vez mais no círculo interno do cartel. Agora resta saber se os eventos finais do episódio serviram como um “abre olhos” sobre a sua verdadeira posição na história, ou se será o incentivo para ir mais além. Afinal, não existe nada mais assustador do que uma mãe desesperada para reaver a sua criança.

Podem ler o nosso Frame By Frame anterior aqui.

0 74 100 1
74%
Average Rating

O claro avanço no que se toca à exploração de alguns dos membros secundários da série conseguem salvar Mayans M.C. de se tornar num episódio sem sal.

  • 74%

Comments