Cinema Críticas

Crítica: Sierra Burgess Is A Loser (2018)

Título: Sierra Burgess Is A Loser
Título Original: Sierra Burgess Is A Loser
Realizado por: Ian Samuels
Elenco:  Shannon PurserKristine FrosethRJ Cyler
Duração: 105 minutos

O grande êxito da Netflix, Stranger Things, trouxe de novo a magia da nostalgia e do dos tempos de adolescente; desde então, conta com várias produções originais de filmes e séries. Em Sierra Burgess Is A Loser, Sierra (Shannon Purseré uma adolescente que não tem a maior confiança em si mesma; tem mais peso do que as raparigas populares da escola, não tem muitos amigos, sofre de bullying e sofre pressão de ser como o seu pai, um escritor famoso. Quando Veronica (Kristine Froseth), uma das raparigas que goza com ela, dá o seu número a um rapaz chamado Jamey (Noah Centineo), numa tentativa de lhe pregar uma partida, Sierra vê-se envolvida numa mentira para não perder Jamey.

Esta obra toca em tópicos presentes na vida de todos os adolescentes: falta de auto-confiança, bullying, o primeiro amor e a dificuldade em nos descobrir-mos a nós próprios. Com a quantidade de influencers “perfeitos” que vemos nas redes sociais, é excelente ver o assunto da auto-aceitação retratado na obra, e penso que a escolha de Shannon Purser como Sierra foi acertada, pois trata-se de uma actriz cuja influência tem sido positiva na área de amor próprio. A personagem Sierra é bem caracterizada, com ares de “realidade” e aparência de rapariga comum. No entanto, o filme cai no erro de ter actores cuja aparência nada se parece com alunos do secundário. Apesar disto, destaco a performance de Kristine Froseth e RJ Cyler (o carismático Earl de Eu, o Earl e a Tal Miúda) como Veronica e Dan.

Apresenta uma soundtrack encantadora, com muito sintetizador à mistura, evocando o mesmo sentimento de nostalgia de Stranger Things. A cinematografia de John W. Rutland é igualmente bonita e bem feita, conferindo um conforto familiar às personagens.

Não gostei, no entanto, do final. É fantástico que tanto a personagem principal como as personagens Jamye e Veronica se apercebam de que a aparência não dita a nossa personalidade e  gostei imenso da mensagem final, de que os “girassóis” são tão bonitos e encantadores como as “rosas”; o filme apenas “varre” alguns problemas para debaixo do tapete e o típico final feliz aqui pareceu demasiado forçado e irreal. Fiquei também com uma má impressão ao ver que as más acções de Sierra não tiveram, no final, qualquer consequência. Tem, portanto, uma moral um pouco errada. A personagem que mais me surpreendeu pela positiva, tanto pelo crescimento pessoal como pela originalidade na escrita da mesma foi Veronica; penso que muitas vezes a história de pessoas como ela é demasiado secundária quando é tão importante como a história e as dificuldades de Sierra.

Sierra Burgess Is A Loser transmite, sem dúvida, uma bonita lição de amor próprio; mas atenção, transmite também uma má ideia de que mesmo que mintamos às pessoas, elas nos vão perdoar na mesma. Aconselho Sierra Burgess Is A Loser para quem quer um filme descontraído e positivo.

Trailer – Sierra Burgess Is A Loser

Comments