Cinema Críticas

Crítica: The Lion King 1 1/2 (2004)

Título original: The Lion King 1 1/2

Título: O Rei Leão 3 – Hakuna Matata

Realizado por: Bradley Raymond

Elenco: Nathan Lane, Ernie Sabella, Julie Kavner

Duração: 77 min.

Enquanto que The Lion King se concentrou no drama e The Lion King II no romance, esta terceira parte concentra-se no humor. E não poderia ser diferente, pois os protagonistas são Timon (voz de Nathan Lane) e Pumba (voz de Ernie Sabella). Aliás, basta ver pelo título: Hakuna Matata!

A terceira parte da saga remete-nos ao passado para aprender muito mais sobre a história de Timon e Pumba. Também uma revisão da história de Simba (vozes de Mathew Broderick e Matt Weinberg) a partir da perspectiva destes dois grandes amigos.

Em The Lion King 1 1/2 surgem dois temas: fortes relações familiares e a importância da amizade. Timon e a sua mãe abraçam-se e dizem que se amam. Timon e Pumba genuinamente gostam um do outro e dizem que os amigos se unem até o fim. Eles também aprendem as dificuldades e alegrias da paternidade com o jovem Simba. Quando este precisa dos seus amigos, Timon e Pumba vão sempre em seu auxílio. Simba abraça os seus amigos e diz que não poderia ter feito nada sem eles. A mãe de Timon procura o seu filho para ajudá-lo.

No entanto, existem grandes diferenças entre este filme e o original. Primeiro, a história parece muito mais simples. É mais interessante, mas parece assemelhar-se a um simples filme de aventura. Em segundo lugar, O Rei Leão 1 1/2 tenta ser mais uma comédia do que o drama surpreendentemente comovente que o primeiro foi.

De resto, é muito melhor que a segunda parte, dado que são observadas mais cenas cómicas (dificilmente tristes), personagens mais atraentes para o público infantil (neste caso, a mãe de Timon e o seu tio), e um ritmo mais agradável.

Mas vamos admitir uma coisa. Não é o melhor filme que a Disney já fez, e definitivamente não é melhor que The Lion KingMas somente pelo fato de ser capaz de parodiar o filme original respeitando a sua continuidade e contando a sua própria história, com algumas ótimas piadas sobre alguns dos momentos mais clássicos de seu antecessor, vale a pena ser visto.

Em suma, é um filme divertido, que faz qualquer um rir e também se divertir, assim como esquecer a segunda parte mais sinistra.

Trailer | The Lion King 1 1/2

Comments