Cinema Críticas

Ghost Stories (2017)

Título Original: Ghost Stories

Título: Ghost Stories

Realizado por: Jeremy DysonAndy Nyman

Elenco: Andy NymanMartin FreemanPaul WhitehouseAlex Lawther

Duração: 98 mins.

Ghost Stories é uma adaptação para filme de uma peça de Andy Nyman e Jeremy Dyson. Os dois decidiram por mãos à obra e não só escrever a adaptação como também realizá-la. Um ponto para eles pela audácia.

O filme é uma antologia de três histórias de terror “coladas” umas às outras por uma história central misteriosa.

Fiéis às bases

O que de bom fizeram estes realizadores foi que arriscaram pouco com as regras da linguagem cinematográfica. Obviamente que as excepções confirmam a regra, mas filmes que seguem as regras elementares da linguagem são os estétitcamente mais interessantes. No entanto estamos a falar de linguagem cinematográfica apenas. E mesmo aí, ás vezes não seguir as regras permite resultados finais até melhores! O que quero dizer é que nesse aspecto os realizadores não inventaram e aliaram uma cinematografia “by de book” a uma colorização eficiente e o resultado é muito interessante nesse campo.

Ghost Stories
Filmado em Cinemascope (2.35:1), os realizadores apostam numa estética simples e pelas regras que funciona perfeitamente. Alguns planos são arrebatadores.

O filme é parco em efeitos especiais apostando na ansiedade como um trunfo para prender o espectador. Pouco CGI e muito efeito prático.

Ghost Stories combina a sensibilidade daquele humor britânico tradicional com a linguagem visual típica do cinema Europeu e com a composição cénica para manter os espectadores emocionalmente desequilibrados.

A Narrativa

O Professor Goodman (Andy Nyman) dedica-se a desmascarar mitos paranormais. Desta vez depara-se com três mistérios paranormais que outros grandes nomes falharam em desmascarar. As cenas assustadoras ocorrem nos flashbacks dos sujeitos com quem Goodman vai falando na esperança de desmascarar as histórias. São curtas vinhetas que nos levam a caves escuras, florestas assombradas e casas abandonadas.

Mais do que sustos, diversão

Filmes como Ghost Stories apostam forte na angústia. Nada de horror muito gráfico e litros de sangue a escorrer. Cada segmento do filme é uma história típica que se contam naquelas noites com amigos.

O público dos filmes de terror é difícil e este filme provavelmente agradará a uma minoria dentro desse grupo. A verdade é que os fãs do terror gráfico de Holocausto Canibal e outros do género devem procurar a sua fonte de adrenalina noutro sítio porque Ghost Stories não é feito a pensar neles.

É um filme bem feito, que demora a desenvolver, mas que no final nos recompensa. Mas não é aquele terror clássico e puro que nos faz ver o filme com um olho aberto e o outro fechado.

Performances dos actores

As cares principais são Paul Whitehouse, Alex Lawther e Martin Freeman. São as performances deles que tornam cativantes as histórias dentro da história.

Martin Freeman, por exemplo, é um homem de negócios que lida com a parentalidade e com a invasão demoníaca da sua casa por um espírito…

Paul Whitehouse interpreta um homem que trabalha por turnos num local pouco hospitaleiro e que é abordado por visitantes indesejáveis de outra dimensão.

Alex Lawther, o mais jovem, sofre de stress pós-traumático depois de ter tido uma experiência pouco agradável e nada fácil de explicar nas florestas da zona.

poster
Um dos posters do filme. Todos eles são autênticas obras de arte.

Conclusão

O balanço do filme é relativamente positivo. Como já mencionei a execução técnica e as performances merecem nota positiva. O enredo e a forma como costuraram as histórias umas às outras, também.

Mencionaria aqui de forma menos positiva a forma como o filme demora a desenvolver e como leva o seu tempo a mostrar-nos as motivações do personagem principal. Por outro lado, quando o faz, fá-lo bem e com sentido.

Não é um filme para agradar a todos, mas é um bom filme. Acima de tudo prova que não é preciso muito para prender o telespectador neste tipo de filmes: basta uma boa história, um bom actor e o domínio da conjugação entre camara e luz.

Trailer | Ghost Stories

Comments