Cinema Críticas

Crítica: The Little Mermaid (1989)

A Pequena Sereia

Título: A Pequena Sereia
Título Original: The Little Mermaid
Realizado por: Ron ClementsJohn Musker
Elenco:  Jodi BensonSamuel E. WrightRene Auberjonois
Duração: 83 minutos

A maior parte da minha geração cresceu com os filmes animados da  Walt Disney Pictures, e a questão “Qual é o teu filme favorito da Disney?” não era incomum. Desde muito cedo que A Pequena Sereia é a minha resposta, tanto pela qualidade da obra como pelo valor nostálgico. Os primeiros minutos do filme transportam-me para a sala da minha antiga casa, onde sou novamente uma criança de olhos arregalados colados na TV enorme, daquelas oldschool, cantando ao mesmo tempo que Sebastião, Ariel ou Úrsula. É uma adaptação do conto do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen.

Ariel (Jodi Benson) é uma sereia de 16 anos, filha do rei Tritão, que mora nas profundezas do mar. Ela é obcecada pela vida humana, tem uma enorme colecção de objectos que para ela são estranhos (espelhos, jóias, talheres..) e gosta de ir à superfície com o seu melhor amigo Flounder (Jason Marin), apesar de estar proibida pelo pai, pois os humanos são “bárbaros, comedores de peixe”. Um dia salva o príncipe Eric (Christopher Daniel Barnes), um humano, por quem se apaixona perdidamente. Desesperada, faz um acordo com a bruxa do mar, Úrsula (Pat Carroll), que lhe concede pernas em troca da sua linda voz. Ariel tem então 3 dias para fazer com que Eric lhe dê o “beijo de verdadeiro amor”, caso contrário será escrava de Úrsula para sempre.

Vendo o filme através de uma perspectiva “adulta”, é aparentemente uma moral que nenhuma criança devia seguir; Ariel apaixona-se basicamente por um estranho completo, tal como Eric. Dá a entender que a atracção física é o suficiente numa relação e que Ariel é apenas uma adolescente rebelde que só faz asneiras. No entanto, a ideia com que sempre fiquei foi que o que mais importa é o amor que as pessoas sentem por quem somos realmente, e que é importante não nos esquecermos da nossa família e dos nossos amigos.

Admito que a minha versão predilecta de A Pequena Sereia é a versão portuguesa, com as vozes de Mila Belo, Anabela Pires, Diogo Infante, Pedro Malagueta, entre outros. A animação está espetacular, é um filme lindo tanto em 1989 como em 2018. As músicas, do genial Alan Menken, são clássicos e sei as letras de cor e salteado; quem não adora “Kiss The Girl”, “Part of Your World” e “Under the Sea”.

As personagens são adoráveis, tanto Ariel como Sebastião, Flounder e a gaivota Scuttle; o príncipe Eric foi a minha crush de criança e a bruxa/polvo mauzão Úrsula assombrou-me durante algum tempo!

A Pequena Sereia tem um lugar especial na minha infância e, de vez em quando, gosto de o ver só para matar as saudades. Inspirou-me, tal como a inúmeras outras crianças, a ser corajosa e apaixonada como Ariel, uma boa amiga como Flounder e Sebastião, e a apreciar a minha família tal como o rei Tritão. Então, qual é o teu filme favorito da Disney?

Trailer – A Pequena Sereia

Comments