Frame by Frame The 100

The 100 – 5×09 – Sic Semper Tyrannis

CONTÉM SPOILERS!

Demorou duas semanas até vermos este episódio de The 100. O anterior deixou-nos num enorme suspense, com Bellamy (Bob Morley) decidindo envenenar Octavia (Marie Avgeropoulos) para parar a guerra.

Além de uma guerra que estamos constantemente a anunciar para o último vale vivo na Terra, os grupos estão a rasgar-se por dentro e, por isso, enfrentam o que parece uma guerra civil. Os líderes encontram resistência dentro do seu campo, pessoas que não compartilham as suas ideias e que estão dispostas a sacrificar muito para pôr fim a este conflito.

O relacionamento de Bellamy e Clarke (Eliza Taylor) é um dos pilares de The 100, que os destaca como indivíduos, líderes e parceiros e, por isso, uma força motriz da série. Mas parte do que os torna tão fascinantes são as falhas e complexidades dentro de cada um deles que trazem para esse relacionamento. Este episódio destaca essas mesmas diferenças, levando a choques nas suas escolhas de liderança. Separadamente, Clarke e Bellamy são ambos líderes decentes, cada um cometendo erros compreensíveis, mas ambos têm as melhores intenções. Juntos podem mover montanhas. Contudo, uma das melhores coisas que The 100 tem é que raramente alguém está completamente certo ou completamente errado.

Este episódio também nos dá alguns dos melhores momentos de Indra. Este é o tipo de conteúdo que queremos ver Adina Porter enfrentar. Embora seja aparente que grande parte do relacionamento de Gaia (Tati Gabrielle) e Indra foi consertado durante o salto de seis anos, os seus principais pontos de discórdia continuam. Pela primeira vez, porém, os seus objetivos alinham-se. Tanto Indra como Gaia querem a mesma coisa, mesmo que o desejem por diferentes razões. E é por isso que adoro ver estes dois trabalhos juntos porque mesmo que não se entendam completamente, ainda têm um profundo respeito entre elas. Juntas, elas criaram Blodreina e no que ela se tornou. 

Numa pequena nota, o conhecimento de Madi (Lola Flanery) sobre o passado do fundador traz de volta uma parte divertida dos mitos da série: o chip do comandante é real? Todos os comandantes estão realmente preservados, provando assim que essa religião é real? E, claro, para todos os fãs do poder feminino, isso significa que parte de Lexa (Alycia Debnam-Carey) está viva? Esse parece ser o caso, e estou ansiosa para ver como isso irá afetar o relacionamento de Madi e Clarke.

Todos nós esperávamos um grande confronto entre Clarke e Octavia, mas em Sic Semper Tyrannis elas acabam do mesmo lado. Nenhuma delas quer que Madi ascenda, e ambas se sentem traídas por Bellamy. Essa traição e os seus desejos compartilhados por Madi leva-as a trabalhar juntas. Além disso, Octavia mostra momentos impressionantes de vulnerabilidade através da máscara manchada de sangue que ela usa para se proteger e liderar o seu povo. 

De fato, esta temporada é, mais do que nunca, marcada pela violência geral. E além de Clarke, Kane (Henry Ian Cusick) e o grupo em torno de Raven (Lindsey Morgan), todo o mundo parece determinado a lutar. Uma perda de humanidade que faz com que a série se transforme em algo bastante escuro. E se esse episódio não foi, tecnicamente, mais surpreendente ou excitante, segue uma abordagem interessante para o futuro.

Leiam a nossa opinião do episódio anterior aqui.

0 80 100 1
80%
Average Rating

Comments