Frame by Frame Marvel's Luke Cage TV

Luke Cage – 2×08 – If It Ain’t Rough, It Ain’t Right

Luke Cage

CONTÉM SPOILERS!!!

Como já manda a praxe, após a tempestade, chega a calma. Muitas séries aproveitam esta deixa para dar uma espécie de janela para os personagens – e os fãs – puderem respirar com um pouco mais de alívio, antes de mais um novo problema para resolver. E Luke Cage cumpre com essa praxe. Pelo menos, na maior parte do episódio.

Após os eventos do episódio anterior – com Luke (Mike Colter) a salvar Mariah (Alfre Woodard) e Tilda (Gabrielle Dennis) de um incêndio orquestrado por Bushmaster (Mustafa Shakir), e isto sem mencionar o massacre de Ridenhour (Peter Jay Fernandez) e Comanche (Thomas Q. Jones) pelas mãos de Shades (Theo Rossi) – todos os intervenientes principais encontram-se confinados na esquadra da polícia e a decidir o seu próximo passo. No entanto, as notícias da sobrevivência de Mariah correm depressa e os jamaicanos leais a Bushmaster começam a espalhar o terror até nos locais mais seguros.

Como já ficou provado em séries anteriores da Marvel/Netflix, confinar os personagens mais importantes dentro de um espaço fechado raramente funciona, exceto quando estes possuem algumas trocas de diálogo de peso. E embora hajam algumas ocasiões em que isto aconteça, no seu todo, este episódio acabou por pecar imenso por colocar imensas personagens num único local, sem que estas façam alguma coisa de importante durante quase uma hora de episódio.

Mas como tinha referido anteriormente, tal não significa que não hajam momentos de renome. Um desses exemplos é o de Misty (Simone Missick). Graças ao massacre do episódio anterior, os nervos estão à flor da pela, com Misty a variar entre o profissionalismo policial e o feitio de uma mulher que acabara por perder um superior por quem nutria um certo respeito. Isto leva a uma mudança temporária no status quo da personagem e que esta terá de aproveitar ao máximo.

Outro destaque deste episódio foi Shades. Este personagem está a gozar de uma nova posição nesta temporada: se antes tinha o respeito e a atenção de Mariah, esta temporada viria a solidificar esta dinâmica estranha. E este episódio acaba por cimentar que, por detrás de um swagger sem qualquer sentido (a sério, quem é que tem a brilhante ideia de estar em espaços fechados com óculos de sol?), existe um ser sensível dentro de Shades. Um homem que cede parte do seu tempo a consolar a mãe de Comanche ou de se sentir traído pelas constantes jogadas irracionais de Mariah.

Outra vez a perder ficou Bushmaster. Agora que possui tudo o que desejava, o que mais poderia ele querer? Obsessão por mais poder, claro está! Inicialmente, o personagem apresentava-se como um oponente formidável em mais do que um campo; no entanto, Bushmaster acaba por tornar-se naquele típico vilão sedento de mais poder, não importando as consequências para ele mesmo. Dizem que um vilão tresloucado pode revelar-se ainda mais perigoso; neste caso, apenas continuar a perder pontos a seu favor.

Leiam o nosso Frame By Frame do episódio anterior aqui.

Comments