Open Sesame Rubricas

Tokyo Godfathers, mais um filme de Satoshi Kon

Tokyo Godfathers

O Open Sesame desta semana é sobre mais um dos trabalhos de Satoshi Kon, Tokyo Godfathers.
Começo por parecer tendenciosa ao sugerir outro filme deste realizador. Não que esteja a contabilizar, é já o terceiro filme dele nesta rubrica e, volta e meia, a minha descrição das suas criações começa a soar repetitiva.
No entanto, posso tentar mais uma vez. Satoshi Kon, tem uma maneira muito peculiar de traçar um enredo, cujos trabalhos são marcados pela sua capacidade de incorporar desde as projeções do exterior que fazem eco dentro de nós, à nossa própria imagem reflectida no que nos rodeia. Apesar de não termos transições de cenas entre o fantástico e o real, como em Paprika e Millennium Actress, Tokyo Godfathers, conseguiu surpreender pela positiva.

Passado em plena véspera do dia de Natal, acompanhamos três amigos invulgares na margem da sociedade. Hana, Miyuki e Gin, são sem-abrigo que, em plena quadra natalícia, testemunham um milagre. É no lixo que encontram um recém-nascido e, apesar de viverem na pobreza, decidem cuidar deste bebé, apelidando-o de Kiyoko (Pure One). Acompanhamos, assim, um desenrolar de eventos pouco convencional, pautado pelo verdadeiro espírito desta época. Numa busca à mãe de Kiyoko, vamos conhecendo um pouco mais sobre estas personagens nesta cidade de Tóquio.

À superfície, a grande mensagem deste filme é a importância da família e dos laços que se criam, por vezes, entre completos estranhos. Todavia, é muito mais do que isso.
Tendo como pano de fundo uma sociedade cada vez mais individualizada, o desenvolvimento das personagens permite-nos conhecer o seu passado e descobrir o porquê da situação presente. Nesta série de coincidências com humor marcado, consegue-se discernir a inadequação sentida por estes três amigos e o seu grito mudo de ajuda na sua redenção.
Com uma arte já característica, Tokyo Godfathers, é definitivamente um anime a ver, mostrando-nos que a felicidade pode assumir diversas formas.

Leiam o Open Sesame da semana anterior aqui.

Comments