Cinema Críticas

Crítica: The Road (2009)

Nome: A Estrada
Título Original: The Road
Realizador: John Hillcoat
Elenco: Viggo MortensenKodi Smit-McPheeCharlize Theron
Duração:
111 min

The Road é uma das poucas longas-metragens do realizador John Hillcoat, muito mais familiarizado com curtas-metragens. O filme conta a história de pai e filho, e a sua luta pela sobrevivência num mundo pós-apocalíptico.

The Road é um filme inovador em certos aspetos, e um deles é que, ao longo da película, nenhum personagem menciona o seu nome, ou o de outro. O protagonista do filme, interpretado pelo (capitão) fantástico Viggo Mortensen, é um pai desesperado que luta não só pela sua sobrevivência, mas também pela do seu filho. O seu filho, interpretado por Kodi Smit-McPhee, é uma criança traumatizada, condenada a crescer num mundo sem vida. Viggo não desaponta em nada, com uma performance extraordinária cheia de garra e emoção. Kodi também não se deixa ficar para trás, e arrasa no papel que lhe foi atribuído. Num filme em que acompanhamos os protagonistas de início ao fim, não poderíamos pedir melhor companhia do que a destes dois grandes atores. Charlize Theron interpreta a esposa do protagonista. É estranho dizer isto, mas a performance de Charlize deixa muito a desejar. Poderá ser do próprio arco da sua personagem (que, por si só, é muito desleixado e mal escrito), mas a sua prestação contribuiu para o declínio de qualidade do filme, mas, no entanto, ajudou Viggo a brilhar ainda mais com a sua belíssima performance.

O enredo do filme é incrível. A película retrata um mundo morto, sem vida, onde as plantações secaram, os animais morreram e as florestas foram vítimas de incêndios de grande dimensão. Os terramotos são uma constante, e o sol nunca se vê. Com a escassez de comida, os sobreviventes voltaram-se para o canibalismo. The Road é uma viagem de pai e filho por um ambiente inóspito e perigoso. Mas é também uma viagem chocante para o espectador, onde os humanos são despidos da sua humanidade, e comportam-se como um bando de animais selvagens. Ao longo do filme ambos os protagonistas vêm-se envoltos nos seus próprios pensamentos, no que é certo ou errado. A dúvida é sempre uma constante, porque neste mundo, a escolha errada pode-nos custar tudo, e nunca sabemos em quem confiar, até mesmo em nós próprios. The Road é um filme pesado e arrepiante. É uma viagem emocional dos protagonistas (e do espectador), onde ambos lutam contra os fantasmas do seu passado. Infelizmente, o filme peca no encerrar da narrativa, com um final muito forçado, aleatório e sem qualquer premonição.

O que vende muito a mensagem de um mundo sem vida é o esquema de cores utilizado no filme. O filme é pintado em tons de cinza, desprovidos de vida e cor, que dão uma sensação deprimida e triste às cenas. É apenas nos pensamentos dos protagonistas que conseguimos encontrar alguma cor, mas toda ela é uma ilusão de um passado distante que os persegue incessantemente. O filme também utiliza muito bem a banda sonora, tanto em momentos de introspecção dos protagonistas, como em momentos de pura adrenalina e suspense, que deixam o espectador agarrado à cadeira, sempre à espera que o pior aconteça.

The Road acaba por ser um filme fantástico, com uma temática incrivelmente aterrorizante, que deixa o espectador chocado do início ao fim. As performances são maravilhosas e o enredo consegue fugir aos clichés do género. Viggo Mortensen brilha uma vez mais e rouba o show de uma forma estonteante e esplêndida. Infelizmente, o final não faz muito sentido, e é forçado para que o espectador sinta a concretização de algo por parte dos protagonistas. Mesmo assim, não deixa de ser uma viagem emocional, que tem tanto de fascinante como de assombrosa.

Trailer | The Road (2009)

Comments