Frame by Frame The Handmaid's Tale TV

The Handmaid’s Tale – 2×08 – Women’s Work

The Handmaids Tale

PODE CONTER SPOILERS!

Depois de termos visto, no episódio da semana passada de The Handmaid’s Tale, Serena (Yvonne Strahovski) e June (Elisabeth Moss) juntarem as suas qualidades enquanto profissionais, antes de serem a Esposa e a Serva que Gilead as transformou, começamos o episódio Women’s Work no mesmo espaço e vamos acompanhando as duas no seu trabalho conjunto, que envolve até alguns pequenos sorrisos.

O regresso de Fred (Joseph Fiennes) a casa altera tudo e isso percebe-se no estado de ansiedade que todas estavam antes de ele chegar. Havia luz naquela casa, mas foi sol de pouca dura. A tensão durante o capítulo vai piorando quando a bebé dos Putnam – ou melhor dizendo, de Janine (Madeline Brewer) – adoece gravemente. A senhora Waterford não só permite a que a serva visite a filha a pedido de Offred, como também ao saber que a melhor médica de crianças do país está por ali perto trabalhando como Martha, tenta convencer o marido a trazê-la para cuidar da bebé.

Ele nega e vemos aqui um grande ato de coragem por parte da esposa. Serena vai contra o marido, para que a criança tenha uma hipótese de realmente sobreviver. O mais interessante? A melhor médica ser do sexo feminino e negra. Isto tem tanto de interessante como de ridículo. Terem mandado todas as mulheres embora, mantendo apenas os homens a cuidarem das pessoas, mesmo sabendo que havia melhor. A sério que não pensam que também eles podem precisar de cuidados? São revoltantes as hierarquias e a diferença de papéis. Já para não falar numa das coisas que mais raiva me deu: então colocam a vida de um bebé nas mãos de Deus e depois fazem trinta por uma linha para aumentarem a taxa de natalidade? É mesmo esse o problema ou querem apenas escravizar?

Serena, que tudo fez para defender o marido enquanto este esteve no hospital, depressa percebe que foi um erro ir contra as ideias dele. Descobrindo a traição da esposa e num ato de violência e humilhação, sob o olhar impotente de Offred, o comandante chicoteia-a com o cinto, enquanto proclama o papel de cada um deles naquele regime. Esta cena é tão, tão dura, meus caros. Yvonne Strahovski tem neste episódio o papel principal e que maravilha foi. Merece que todos os responsáveis pelas atribuições de prémios estejam atentos e que lhe façam justiça. Ela é, sem dúvida, a personagem mais complexa de toda a série e cada vez mais, se vai apercebendo dos erros que cometeu enquanto uma das responsáveis por aquelas leis e regras. REVOLTA-TE MULHER! 

A nível de realização e fotografia, The Handmaid’s Tale continua a mostrar o porquê de ser uma das melhores séries da atualidade, assim como o argumento, que esta semana, nos trouxe alguns desenvolvimentos nesta luta pela liberdade e que, mesmo no meio de toda a dureza e sofrimento, nos traz uma réstia de esperança que as coisas possam mudar.

E, por favor, continuem a juntar June e Serena como equipa. Foi lindo!

Blessed be the fruit.  

Leiam o Frame by Frame anterior, aqui. 

0 92 100 1
92%
Average Rating

A nível de realização e fotografia, The Handmaids Tale continua a mostrar o porquê de ser uma das melhores séries da atualidade, assim como o argumento, que esta semana, nos trouxe alguns desenvolvimentos nesta luta pela liberdade e que, mesmo no meio de toda a dureza e sofrimento, nos traz uma réstia de esperança que as coisas podem mudar. 

  • 92%

Comments