13 Reasons Why Frame by Frame TV

13 Reasons Why – 2×13 – Bye

13 Reasons Why

PODE CONTER SPOILERS!

Chegando ao episódio final da segunda temporada de 13 Reasons Why, passou cerca de um mês depois dos eventos e vemos Bryce (Justin Prentice) relatar em tribunal que está arrependido. Passando para a testemunha de Jessica (Alisha Boe) e depois de afirmar que, mesmo não se lembrando do abuso em si, recorda-se de não conseguir respirar. Temos direito a uma cena fortíssima, onde vemos o lugar de Jessica ser ocupado por Hannah (Katherine Langford), Courtney (Michele Selene Ang), Nina (Samantha Logan), a mãe de Clay (Amy Hargreaves), entre outras mulheres, que nos contam situações onde, durante o seu percurso, foram assediadas ou abusadas por um homem.

É extremamente importante a série abordar estas questões, tendo em conta o panorama atual, onde vemos cada vez mais mulheres a afirmarem-se perante os abusos que sofreram na indústria. O empoderamento feminino é um foco na sociedade de hoje em dia e é bom ver estas mulheres e miúdas que temos vindo a acompanhar de capítulo para capítulo, a assumirem as rédeas das suas vidas e perderem o medo.

Ainda que levemos com um balde de água fria ao perceber que o vilão apanha apenas 3 meses de pena suspensa – possivelmente graças ao dinheiro e poder da sua família – enquanto que Justin (Brandon Flynn), que não tem onde cair morto, recebe 6 meses. É triste, mas faz parte da realidade da justiça um pouco por todo o mundo.

Querendo fazer uma cerimónia para finalmente “libertarem” a sua menina, os Baker encontram uma igreja e um padre (Anthony Rapp, um dos primeiros a assumir ter sido abusado por Kevin Spacey) que entende o que eles pretendem, depois de serem recusados por outras igrejas que consideram o suicídio um pecado. Tipo, a sério? Mas voltando ao que importa. O que dizer do discurso de Clay (Dylan Minnette) no “funeral”? Lindo. Tendo como referência o momento que Skye terminou uma relação com ele, diz:

“Uma grande amiga uma vez disse-me “Eu posso amar-te, mas deixar-te partir. Então Hannah, eu amo-te e deixo-te ir”. Tenho saudades tuas e espero que, para onde fores, agora te sintas em paz, te sintas segura como nunca te sentiste aqui. Onde quer que vás agora, espero que saibas que te amo.”

Vemos aqui, a despedida deles e deixando-a partir, acredito que tenham finalmente acabado as alucinações.

Para mim uma das melhores cenas do episódio final é sem dúvida uma entre Jensen e Justin quando o primeiro lhe pergunta se ele gostava de ser adotado pela sua família. O momento é emocionante e, ainda que não nos tenha deixado de boca aberta, aposto que ficaram com uma lágrima no canto do olho como eu. O que não me deixa nada descansado é ver o namorado da mãe de Foley a observá-lo do lado de fora do Monet’s (onde decorre o pós-cerimónia), assim como o facto de ele se continuar a drogar às escondidas.

Algo que me deixou também feliz foi saber do namoro entre Jessica e Alex (Miles Heizer), ainda que ache que estes estão a confundir uma grande amizade com amor, como muitas das vezes acontece. E uma das provas disso é, já no baile de Inverno, quando a rapariga acaba por não resistir aos encantos de Justin, traindo assim o namorado e fazendo amor com ele. Se vier terceira temporada, acho que vem aí triângulo amoroso!

Ainda no baile, somos brindados com uma cena que me deixou em lágrimas. Toca “The Night We Met” de Lord Houron, a mesma música que Clay e Hannah dançaram na primeira temporada, e acho que aqui se dá o “cair da ficha”. De rastos, no meio da pista, este é abraçado pelos amigos e é impossível ficar indiferente nesta cena.

Não posso terminar sem falar de Tyler e tudo aquilo que lhe aconteceu aqui. Depois de voltar do programa (e aparentemente mostrar sinais de melhoria), é abordado por Montgomery (Timothy Granaderos) na casa-de-banho e a cena que se segue é das mais perturbador a que já assisti. Acredito que hajam pessoas que não consigam ver o que sucedeu. O fotógrafo, não só é agredido, como é violado com uma vassoura. Fiquei sem reação e a pensar naquela cena nas horas seguintes. Se era necessária? Sim. É importante tocar nas feridas sem medo, porque isto acontece a toda a hora e ninguém se importa. Obviamente que, se já tínhamos medo de que ele fosse fazer um massacre na escola, depois de tudo isto, era mais que certo.

Tal acontece, mas ao avisar Mack do que iria fazer, é impedido pelo protagonista de 13 Reasons Why, que faz aquilo que nunca se deve fazer: confrontar o rapaz armado. Ainda que tenha terminado de uma maneira “feliz”, sem se concretizar, o certo é que na realidade isto raramente acontece. Chamaram a polícia, muito bem, mas dar uma de herói como exemplo, foi um tiro no pé.

É interessante a diferença que a série nos mostra entre Hannah e Tyler. Ela sofreu bullying, não tinha amigos e pôs termo à sua vida. Ele também sobre de ameaças físicas e verbais, foi abandonado pelos amigos e decidiu matar outras pessoas. Nunca se sabe como alguém vai reagir, mas 13 Reasons Why mostrou-nos que nunca é igual.

O mundo está cada vez pior, seja pelos abusos escondidos, pela falta de atenção dos pais preocupados com todos os outros problemas diários, pela falta de justiça, onde os ricos se safam sempre e os pobres se vão sujeitando, ou pelo medo das represálias que se podem sofrer. A série não tem medo de mostrar o que acontece, seja justo ou não, seja aquilo que queremos ver ou não. É uma realidade que nos passa, na maioria das vezes, ao lado. A 1ª temporada foi muito importante e fê-lo na perfeição. A 2ª, ainda que com algumas falhas, também tem o seu papel e acredito que ainda haja muito mais para contar na vida destes adolescentes.

CENAS AINDA A RETER DO EPISÓDIO:

  • Bryce vai embora da escola, YES! Mas Chloe conta a Jessica que está grávida. Ok, gravidez na adolescência na 3ª temporada;
  • A mãe de Clay abandona a empresa onde trabalha, para se dedicar a casos como o de Hannah. Well done! 
  • Foi Nina quem roubou as polaróides e aqui vemo-la a queima-las. Tipo, porquê?
  • Clay acabar a tatuagem do ponto e vírgula que é associada ao suicídio foi simbólica e bonita.

Leiam o Frame by Frame anterior, aqui. 

0 82 100 1
82%
Average Rating

13 Reasons Why não tem medo de mostrar o que acontece, seja justo ou não, seja aquilo que queremos ver ou não, é a realidade que nos passa a maioria das vezes ao lado. A 1ª temporada foi super importante e fê-lo na perfeição. A 2ª, ainda que com algumas falhas, também tem o seu papel e acredito que ainda haja muito mais para contar na vida destes adolescentes. 

  • 82%

Comments