deep web

Se seguem esta rubrica com regularidade sabem que vejo todo o tipo de documentários. Claro que um documentário sobre um tema que nos toque e com uma estética agradável é sempre mais interessante. Para além disso, há também vários factores a ter em conta para avaliar um bom documentário. Talvez mais do que um filme de ficção. Vamos então olhar para Deep Web e saber o que é e o que vale este trabalho de Alex Winter.

Alex Winter, realizador de Deep Web, no SXSW
Alex Winter, realizador de Deep Web, no SXSW

O documentário começa com uma perspectiva muito breve e muito genérica sobre a camada não indexada do universo digital. Logo depois foca-se nos eventos que envolveram a detenção, acusação e condenação de Ross Ulbricht, alegado criador da conhecida loja da deep web Silk Road.

Na sua breve introdução, Alex Winter começa por explicar que são muito diferentes os grupos que actuam na deep web. Sejam os governos, bancos, cyberpunks, hackers ou hacktivistas.  Aí entram em cena vários entrevistados. Começando por Andy Greenberg, jornalista cuja investigação inspirou o próprio documentário, indo até Cody Wilson, o homem que ajudou a disseminar armas que podem ser criadas em impressoras 3D.

O comércio desse tipo de produtos e ainda a heroína, LSD e outras drogas ilícitas, eram vendidos livremente no Silk Road. Dirigido por um utilizador (ou vários) escondido atrás do nome Dread Pirate Roberts, o Silk Road transaccionava este e outro tipo de produtos em bitcoins.

Deep Web toma um partido claro neste processo. O documentário simpatiza com a situação de Ulbritcht, que aos 29 anos foi detido pelo FBI com acusações de lavagem de dinheiro e tráfico de drogas. De acordo com os advogados dele, o homem seria apenas uma das várias pessoas a operar sob o nome de Dread Pirate Roberts e que terá sido incriminado pelas restantes. Mas a acusação pinta outro quadro: alegam que Ulbritcht era o verdadeiro e único Dread Pirate Roberts e que teria planeado o assassinato de eventuais traidores.

O realizador leva o espectador a acreditar que Ulbritcht e a sua defesa foram limitados pelo juiz e pelo bloqueio que este impôs à adição de novas provas. Além disso sublinha várias vezes que Ulbritcht possa ter sido alvo de uma investigação do FBI que passou os limites legais.

Fotografia de Ross Ulbricht em Deep Web
Deep Web debruça-se muito sobre o caso de Ross.

Trailer

Conclusão sobre Deep Web

Cinematicamente, Deep Web é interessante. Intercala planos de entrevista muito bem feitos com outros que deixam a desejar, mas há um claro intuito de dinamizar ao máximo os monólogos dos intervenientes através de sequências de planos curtos. Fica um pouco a ideia de que foram usados demasiados enquadramentos de câmara em simultâneo para um só entrevistado e depois foram todos usados sem grande critério. Alguns enquadramentos ferem de morte as regras dos terços.

Em termos de conteúdo é bem estruturado, fluido, coerente e conciso. Mas devia haver mais destaque dado ao outro lado da história. Para além disso, o título pode induzir em erro: Deep Web aborda muito (mas mesmo muito) mais o portal Silk Road e Ulbritcht  do que o conceito de deep web em si mesmo.

A narração de Keanu Reeves, que contracenou com Winters em Bill and Ted, é muito sóbria tal como era exigido.

Deep Web é mais sobre Ross do que sobre a própria deep web
Deep Web é mais sobre Ross do que sobre a própria deep web

Comments